Arrasador: assim o amamos mais, Bahia!

A mística tricolor de goleador e time imabítvel voltou com tudo em campo e fora dele com a democracia. Dentro de campo a torcida do Bahia consegue sair mais feliz do estádio a cada espetáculo de futebol apresentado por seu time. Todos estão jogando bem no time, inclusive o banco de reservas quando é chamados. Esse clima de euforia contrasta com a fragilidade do futebol baiano e da 1ª fase do campeonato do nordeste também muito fraca, todavia não podemos desconsiderar os números do tricolor até agora e o futebol apresentado. O time apresenta notavelmente um futebol ofensivo, intenso e faz uma marcação desde o começo do jogo no campo do adversário.

Fora de campo o Bahia persegue os melhores no mercado para compor sua diretoria executiva. Indiscutéveis nomes de reconhecida competência nacional vão preenchendo as vagas que antes eram bastante sensíveis as críticas e que hoje parecem ter paralisado um pouco o poder da oposição ao presidente Marcelo Santana. Esse começo de temporada nos dá assim a forte impressão que o caminho está bem calçado para que o time consiga bons resultados. Esses laboriosos profissionais fora das quatra linhas devem ser enaltecidos, inclusive a preparação física do Bahia. Creio que há muito tempo não conseguimos um começo de temporado tão promissor no futebol brasileiro.Faz décadas, séculos, que parecia o futebol uma repetição de trinadores que aqui chegavam com uma proposta de futebol muito defensiva e com um plano de integração com a base pouco consistente.

Um outro ponto importante a ser destacado no Bahia que começa o ano embalado é o trio de ataque denominado de “KGB”, Kieza/Gamalho/Biancutti. Esses três atletas estão jogando muito futebol e nos dando um retorno merecido na fé nos nossos artilheiros. Faz muito tempo que o ataque do tricolor não se destacava, buscávamos antes gols de zagueiros e meias defensivos para somar em campo enquanto os atacantes pareciam sempre modestos nos números. Hoje, o ataque do Bahia é enaltecido nacionalmente e no nordeste inteiro, haja vista a boa propaganda e trabalho do pessoal do Esporte Interativo, O Bahia de Maxi agora não tem nada a ver com o do ano passado, e como é bom saber disso tanto em números como em bons espetáculos. Salve Maxi que parecia quase fora do tricolor e foi recuperado pelo Sérgio Soares, um técnico promissor no futebol brasileiro.

PS.: Confesso, Sérgio, minha insegurança em colocar times mistos em jogos decisivos. O Bahia já perdeu vantagens em campoenatos passados por causa de escalações desse tipo nos momentos errados.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*