Vitória x Guarani. Mila, eu te amo!

A minha motivação maior para fazer esse pré-jogo foi declarar o meu amor ao Vitória, ôpa, a minha amada nesse Dia dos Namorados diante da grande audiência do Futebol Bahiano. Aproveitem a aura de amor e façam o mesmo na caixa de comentários!

Mas vamos falar de futebol…

O Vitória joga hoje às 21 horas na nossa amada casa, o Barradão, contra o Guarani. Jogo pra vencer e se consolidar cada vez mais no G-4, encostando na liderança. O time vem embalado e motivado pela vitória fora diante do Boa e tem tudo para vencer o Bugre, que faz campanha ruim na série B, ocupando a 12ª colocação.

O time campineiro não mete medo, ainda mais sem Fumagalli (o melhor jogador deles). Talvez o zagueiro brucutu Domingos não jogue. Aí é ruim para o Vitória pois com ele em campo, é certeza de pênalti ou ao menos falta na entrada da área para Neto “Artilheiro do Brasil” Baiano balançar a rede.

O grande nome do Guarani estará sentado no banco, orientando seu time (viu aí, Carpegiani!?): Oswaldo Alvarez, o Vadão. Podemos chamá-lo de Senhor Série B pois subiu o próprio Guarani em 2009 e o Vitória em 2007. Conhecedor da competição, é o grande trunfo do Bugre no decorrer do campeonato.

Mas Vadão não entra em campo e o provável time do Vitória: Douglas; Gabriel (Léo), Victor Ramos, Rodrigo e Saci; Mancha, Uelliton, Tartá e Marquinhos; Dinei e Neto Baiano, tem que se impor desde o início do jogo e garantir os três pontos, de preferência, sem sustos.

Saci, o inoperante, volta ao time com a contusão de Mansur. A dupla de volantes deveria ser Uelliton e Michel, que já cumpriu suspensão. Mas parece que Mancha continua entre os 11. Carpegiani não quer jogar com camisa 10 nesse jogo, barrou Eduardo Ramos e deu sumiço em Geovanni. Alguém aí sabe o que está acontecendo em relação à Geovanni!? O cara nem no banco senta mais. Muito esquisito…

O Vitória vai jogar com dois meias-atacantes (Marquinhos e Tartá) e dois centroavantes (Neto e Dinei). É o Quarteto Fantástico rubro-negro! Dessa invenção de Carpegianni eu gostei. É praticamente um 4-2-4 (esquema quase ameaçado de extinção), com os meias fazendo às vezes de pontas. Ricardo “4-4-2” Silva, o rei do Basicão, deve estar ficando tonto a cada treinamento do Professor Pardal. O problema é que Carpegianni “faz o filho” nos treinos e entrega a “criança” nas mãos de Ricardo no jogo. Não concordo com essa divisão de comando mas deixa pra lá.

O ECV tem mais time, está em melhor fase e conta com o apoio da torcida, sendo assim, o único resultado aceitável é a vitória. Por falar em torcida, o Marketing “Come Mosca” do Vitória perdeu uma grande chance de lotar o Barradão no jogo de hoje (que caiu no Dia dos Namorados) fazendo promoção para mulher acompanhada não pagar ingresso. Seria um bom argumento para convencer as namoradas a trocarem o cinema, o show ou o jantar por uma noite romântica no estádio, sob a luz da Lua e comemorando os gols do Vitória com beijos apaixonados. Pensando bem, melhor não.

Vumbora Vitória!

Diego Barbosa

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*