Entrevista com Marcelinho nada acrescentou

O Bahia vive um momento de incerteza, a maneira cautelosa do time enfrentar seus adversários não foi compreendida pela sua torcida. No jogo contra o Paraná, das arquibancadas úmidas de Pituaçú, com frieza, busquei compreender nossa torcida. Quando o Bahia tinha o domínio da bola, era uma gritaria só, toda nossa torcida se descabelava, era um deus nos acuda dos diabos. A ansiedade era tal que a gritaria ficou infernal, queriam todos mais um golzinho que não veio. Ansiosos, jogávamos quase que a empurrar os jogadores, parece, tudo piorava, a mesma ansiedade da torcida estava com os jogadores, terminava errando e tudo ficava na mesma, pior, o tempo passava. Teve momento que disse para um irmão que me acompanhava, melhor, que me guiava – Calma, o Bahia ta dando de dois, melhor não fazer o terceiro do que tomar um. Ninguém concordou comigo, eu me calei!

O Bahia apesar de ter vencido o Paraná, não deixou sua torcida satisfeita, dessa vez, por conta de entenderem que o placar poderia ter sido mais elástico. Em verdade isso acrescenta muito pouco, bom mesmo são os três pontos, mas para quem está sedento, a possibilidade de uma enfiada em tão fraco adversário tem significados inexplicáveis, por isso a semana tricolor, após vitória, foi de cobrança e tanto marcou que o Time que viajou, jogou e perdeu em São Caetano do Sul, muito teve desse desespero e pressão, quando fez o casual gol de Alex Maranhão, perdeu-se completamente não acreditando no placar, já que o projeto era um empate, talvez, essa é a verdade.

Para despistarem tamanha ansiedade, semana que passou o site oficial do Esporte Clube Bahia, trouxe em seu podcast, uma entrevista de Marcelinho, onde se percebia o desejo imenso de anunciarem algumas novidades no âmbito patrimonial e até adiantou de forma subliminar algumas coisas. Criou-se uma expectativa muito grande sobre a novidade que deveria ter sido anunciada antes do jogo contra o São Caetano. Esses anúncios, parece, fazia parte do plano de acalentar a torcida, desviando o foco da partida tão temida. De repente nada, silencio total. Agora à noite, como anunciado, o presidente do Bahia compareceu à Transamérica, quando respondeu a perguntas de torcedores e radialistas. Sinceramente pura perda de tempo, nada foi dito de novo e quase tudo ainda no âmbito da especulação. Para os ansiosos por noticias frescas, uma verdadeira decepção. Nada a acrescentar. Sequer novas contratações.

Pituaçu x Sede do Bahia – Não sei se estou sendo mais exigente do que o rei, mas me parece que quando o assunto é Pituaçú, Marcelinho procura, sem ferir susceptibilidade, deixar bem claro nenhuma esperança do Bahia vir a administrar aquela praça esportiva. Mas afirmou o presidente Marcelinho que tem interesse em Pituaçu, mas disse também que não existe nenhuma negociação com o governo sobre essa possibilidade, também disse que o estado nunca manifestou tal interesse tampouco o Bahia. Enfatizou que não nota nenhum interesse do estado nesse sentido. Talvez aí, implícita certa decepção por conta do projeto pitu-azul, não sei.

O CT – Disse ainda o presidente do Bahia, que a prefeitura tem interesse na sede de praia (novidade). Afirmou que o Bahia precisa dar um salto de qualidade e em virtude do fazendão estar ilhado, tem envidado esforços nesse sentido, isso se negociado a sede de praia com a prefeitura. Sobre o terreno para o novo CT, afirmou já existir locais visualizados, porém aguardando a concretização dos negocios com a prefeitura, ou seja, tudo no compasso de espera.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*