Campanha do Vitoria começa a empolgar

Ainda faltam 30 rodadas. O triunfo do último domingo(29) do Palmeiras sobre o Náutico, no Parque Antártica, terminou lhe tirando da zona de classificação à Taça Libertadores da América – caiu da quarta para a quinta colocação. “E daí?”, certamente responderia um já animado torcedor rubro-negro, que se despediu do Estadual, apesar do título, ouvindo de todos os lados que o objetivo seria não cair.

A grande irregularidade apresentada no certame – conquistado somente no “apagar das luzes”, após uma arrancada final –, aliada à eliminação na segunda fase da Copa do Brasil para o Paraná (antepenúltimo lugar da Série B atual), deixou o grupo de jogadores bastante pressionado para o início do Brasileiro.
Rivais tricolores já elaboravam as primeiras gracinhas. Guias da competição, distribuídos pela imprensa do Eixo Rio-São Paulo, chegavam a colocar o Vitória ao lado do Ipatinga como principal candidato ao descenso. A volta por cima, porém, veio em apenas 8 rodadas.

Talvez seja cedo para maiores comemorações, mas o fato é que os 3 a 0 em cima do Goiás, sábado, a despeito de alguns sobressaltos durante a partida, estabeleceu a melhor campanha do Leão em 15 anos de campeonato: quatro triunfos, dois empates e duas derrotas. Catorze pontos.Os números são superiores até mesmo aos das duas passagens pela Segundona, em 2005 e 2007. Só não ultrapassam os da Terceirona/2006, quando os adversários eram muito menos gabaritados, graças ao critério do saldo de gols: 7 a 5 (mais detalhes no quadro ao lado).

Enfileirando – O rubro-negro não conseguia ser tão bem-sucedido na história do Nacional desde o vice-campeonato de 1993. Na oportunidade, independende ter enfrentado exclusivamente oponentes das regiões Norte e Nordeste (devido a virada de mesa para beneficiar o Grêmio), acumulou 19 pontos. Aproveitamento de 79%.

“Mais complicado do que chegar, é se manter nesse grupo dos quatro de cima. Estamos brigando com cinco ou seis equipes que têm desempenho acima dos 55%. Será difícil subir na tabela, mas é importante ganhar vantagem para quem vem atrás”, declarou na entrevista coletiva de anteontem o técnico Vágner Mancini, feliz da vida com a quarta vitória consecutiva no Barradão. A marca não era vista, pela Série A, desde 2001.

Antes de empatar em 1 a 1 com o Bahia, em clássico cujo mando de campo foi do Leão, o time fez 2 a 0 no Internacional, 3 a 1 no Botafogo e 1 a 0 no Sport. No final, em que pese a boa seqüência registrada em casa, acabou em 16º dentre os 28 participantes.

Nem na campanha da Terceirona houve série do mesmo tamanho. O máximo foram resultados positivos contra Ipitanga, Coruripe e Pirambu, no começo; e Ipatinga, Ferroviário e Brasil/RS, já no octogonal decisivo. No ano passado, pela Segunda Divisão, após levar 1 a 0 do Santo André em Salvador, obteve cinco triunfos em fileira. Pior para Marília, Ponte Preta, Santa Cruz, Fortaleza e Coritiba. Informações do A Tarde

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*