Após encaminhar acerto com a Globo, Libra dificulta unificação dos clubes

O presidente Fábio Mota, do Vitória, e o CEO do Bahia, Raul Aguirre, participaram do evento. 

Foto: Divulgação

Em reunião na última semana, no Hotel Hilton, em São Paulo, os presidentes dos clubes que integram a Libra encaminharam a venda dos direitos de transmissão com a Rede Globo. A decisão dificulta a unificação dos clubes e põe pressão nos cartolas que integram o outro bloco, que une o Forte Futebol e o Grupo União.

 

Silvio Matos, publicitário indicado pela Codajas, empresa que representa a Libra, apresentou aos representantes de todos os 19 clubes da Libra as três opções que haviam sido negociadas. O presidente Fábio Mota, do Vitória, e o CEO do Bahia, Raul Aguirre, participaram do evento.

De acordo com o ge.globo, a primeira proposta foi de R$ 1,3 bilhão — R$ 1,1 bilhão fixos pelos direitos de televisões aberta e fechada, mais R$ 200 milhões em mínimo garantido pelo pay-per-view. A segunda possibilidade era aceitar a proposta do Mubadala, fundo de investimentos dos Emirados Árabes, de R$ 1,4 bilhão em caso de haver nove clubes do bloco na Série A.

A terceira opção era partir para a unificação com o Forte Futebol e o Grupo União, que havia sido formalizada em um memorando de entendimentos distribuído há duas semanas. Nesse modelo, a negociação dos direitos de televisão seria recomeçada, a partir de então com a participação de todos os 40 clubes de Séries A e B. Clubes da Libra entenderam que, como já tinham uma oferta de R$ 1,3 bilhão da Globo em mãos, a unificação só faria sentido se houvesse garantia deste valor.

 

 

Autor(a)

Fellipe Amaral

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário