Bellintani afirma que Bahia pode entregar muito mais com a SAF

Foi a primeira vez que o time baiano retornou à elite no ano seguinte ao rebaixamento para a Segundona.

Foto: Reprodução / TV Bahia

Após encerrar o primeiro semestre do ano com eliminações precoces no Campeonato Baiano e Copa do Nordeste, o Esporte Clube Bahia iniciou a Série B desacreditado, mas conseguiu alcançar o seu principal objetivo em 2022, que era a conquista do acesso à Série A, que foi sacramentado no último domingo vencendo o CRB por 2 a 1 no Estádio Rei Pelé, em Maceió. O Tricolor finalizou a Segundona na 3ª colocação, com 62 pontos, e figurou no G-4 durante todas as 38 rodadas. O presidente Guilherme Bellintani comemorou bastante o retorno à elite um ano após o rebaixamento, e frisou que agora vai cumprir o outro objetivo no ano, que será a venda da SAF para o Grupo City. O mandatário frisou que o clube pode ‘entregar muito mais’ com a SAF.

 

“O Bahia tem um tamanho para todos nós que é um tamanho infinito, mas para o futebol brasileiro a gente pode entregar muito mais. E agora, voltando à Série A, cumpro meu segundo objetivo do ano, que determinei a mim mesmo. O primeiro foi trazer a proposta de SAF para o clube estar à altura que a torcida merece. Agora eu cumpro o segundo objetivo, e quando falo eu, falo em nome de todos. Desde Vitor Ferraz, esse parceiro nas horas boas e ruins, grande amigo que fiz. Mas todos os funcionários, torcedores, tenho uma lista enorme de pessoas que nos piores momentos mandaram mensagens. “Estou junto, estou com você, a gente vai conseguir”. E dizer que a gente superou o que tinha de superar e entrega o que a torcida merece, o retorno à Série A, mas que quer entregar muito mais.”

Essa foi a primeira vez que o Bahia retornou à elite no ano seguinte ao rebaixamento para a Segundona. O Bahia foi rebaixado pela primeira vez em 1997 e só voltou a disputar a Primeira Divisão em 2000. O segundo rebaixamento foi pior. Depois da queda, em 2003, o Tricolor passou duas temporadas na Série C, em 2006 e 2007, e só voltou a jogar a Série A sete anos depois, em 2011. E, após nova degola, em 2014, o Esquadrão jogou a elite novamente em 2017.

“Tenho uma coisa muito definida na minha vida, que as histórias de sucesso não são feitas só de momentos de sucesso. Os erros, as tragédias, os momentos ruins fazem parte de qualquer história e na minha história não seria diferente. Não queria que acontecesse o que aconteceu. Hoje a principal coisa que peço à torcida é desculpas, por termos feito uma competição em 2022 que não é a do Bahia. Há quase um ano, lá em Fortaleza, eu falei que quem colocou o Bahia na Série B iria retornar o Bahia para a Série A. Isso para mim era uma convicção, coisa de obstinação mesmo. Não ia dormir tranquilo na minha vida, como não dormi nesses onze meses, enquanto a gente não voltasse esse clube para a Série A “, afirmou o presidente.

 

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário