Passagem de Enderson no Bahia foi a 2ª mais curta da era Bellintani

Na segunda passagem pelo clube, ele comandou o time em 19 partidas, com sete triunfos, seis empates e seis derrotas, aproveitamento de 47,3% dos pontos disputados.

Foto - Agif/Renan Oliveira

No último sábado, um dia após a derrota para a Chapecoense por 3 a 1 na Arena Condá, o Esporte Clube Bahia decidiu pela demissão do técnico Enderson Moreira, que não resistiu ao quarto tropeço seguido no Campeonato Brasileiro da Série B. Enderson foi contratado pelo bom relacionamento com o diretor de futebol Eduardo Freeland, com quem trabalhou no Botafogo e conquistou o acesso à Série A. Na segunda passagem pelo clube, ele comandou o time em 19 partidas, com sete triunfos, seis empates e seis derrotas, aproveitamento de 47,3% dos pontos disputados.

 

De acordo com dados divulgados pela página “ECBahia Números“, no Twitter, essa passagem de Enderson foi a segunda mais curta da era Bellintani, ficando atrás apenas do treinador argentino Diego Dabove, que foi demitido após seis jogos. Quem mais durou foi Roger Machado, que comandou a equipe por 74 jogos. Vale lembrar que Enderson também passou pelo Bahia em 2018/2019, na gestão de Bellintani, e também fracassou, sendo demitido após 59 jogos. Outros técnicos da era Bellintani foram Guto Ferreira (2x), Mano Menezes e Dado Cavalcanti.

TREINADORES DA ERA BELLINTANI

1) Roger Machado (2019/20): 74 jogos
2) Enderson Moreira (2018/19): 59 jogos
3) Dado Cavalcanti (2020/21): 51 jogos
4) Guto Ferreira (2021/22): 47 jogos
5) Guto Ferreira (2018): 33 jogos
6) Mano Menezes (2020): 24 jogos
7) Enderson Moreira (2022): 19 jogos
8) Diego Dabove (2021): 6 jogos

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: [email protected]

Deixe seu comentário