Ex-preparador físico da dupla Ba-Vi relata dicas para valorização da base

Com passagens pelos dois principais clubes do estado, Angelo Alves admitiu a adaptação rápida no Verdão pelo contato com ex-profissionais do Leão da Barra

Foto: Divulgação

No quadro de divisões de base dos clubes do futebol brasileiro, uma das com maior destaque é a do Palmeiras. No dia 25 de setembro, o clube adquiriu o título de campeonato brasileiro da categoria Sub-20 vencendo o Corinthians na final com gol do menino Endrick, de apenas 16 anos. Dessa maneira, o Verdão retornou ao posto de líder do ranking de troféus de torneios organizados pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Causa disso é a preparação física de Angelo Alves, ao lado dos trabalhos do treinador de goleiros Luciano Junior, do o roupeiro Eliezer e do auxiliar Gilmey. 

 

‘Chegando aqui no Palmeiras tive a oportunidade de encontrar várias pessoas que já tinha trabalhado no Vitória e isso facilitou bastante a minha adaptação ao clube, além de João Paulo confiar muito no meu trabalho”, admitiu o profissional, em entrevista ao site Galáticos Online.

Na passagem pelo Leão da Barra, ele celebrou as conquistas da Copa do Brasil Sub-20, em 2012, do Campeonato Baiano profissional tanto em 2016 quanto em 2017.

”A minha chegada foi tranquila no Vitória já que conhecia muitas pessoas lá dentro. Trabalhei no Vitória, na Base, no momento bom. Quando o Vitória chegava na competição todos os outros clubes tinha medo de nos enfrentar. Era uma referência nacional , além do staff ser muito qualificado. Hoje o Palmeiras é a referência de base no Brasil e no mundo. O grande responsável por isso se chama João Paulo. Ele mudou o clube em todos os sentidos”, explicou.

Autor(a)

Pedro Moraes

Jornalista, formado pela Universidade Salvador (Unifacs). Possui passagens em vários ramos da comunicação, com destaques para impresso, sites e agências de Salvador e São Paulo. Contato: pedrohmoraessjorn@gmail.com

Deixe seu comentário