Apresentado, Eduardo Barroca comenta expectativa pelo retorno ao Bahia

"Clube muito especial na minha vida, ajudou a me formar.", disse.

Foto: Rafael Machaddo / EC Bahia / Divulgação

Anunciado no último domingo para ocupar o posto de Enderson Moreira, que foi demitido após revés para a Chapecoense, o técnico Eduardo Barroca foi apresentado pelo Esporte Clube Bahia e falou sobre a expectativa de comandar novamente o tricolor, agora como treinador efetivo. Ele assume o time sem vencer há quatro jogos, mas na terceira posição na tabela de classificação da Série B, com 52 pontos conquistados, cinco a mais que o Ituano, em quinto lugar. A estreia do técnico está marcada para esta terça-feira, às 21h30, contra o Novorizontino, no estádio Jorge Ismael de Biasi.

 

“Falar da minha felicidade de estar de volta ao Bahia. Clube muito especial na minha vida, ajudou a me formar. Antes de responder, queria externar o meu respeito ao treinador que estou substituindo. Uma das minhas primeiras missões é tentar aproveitar tudo que esse time conseguiu caminhar até aqui e não desorganizar o que vinha sendo bem feito. O Bahia passou toda a competição dentro de uma zona e agora faltando seis jogos é um momento sensível para conseguir o objetivo. É importante deixar esse registro de respeito ao Enderson.”

Para a estreia, Barroca volta a contar com o meia Daniel, que desfalcou o Bahia na derrota contra a Chapecoense por conta de um problema físico. Questionado se pretende fazer mudanças no time, o treinador afirma que ainda não tomou a decisão sobre mudanças.

“Estou muito pouco tempo, tive oportunidade de dar um treino ontem para jogadores em recuperação do jogo da Chapecoense e um treino hoje de véspera de jogo, que a gente não consegue trabalhar volume. A caminho de Novo Horizonte vou poder tomar essa decisão com a comissão técnica que aqui estava e vai ter mais elementos para me fornecer.”

“Sou um treinador que gosto muito da imposição de jogo. Vou sempre tentar. Futebol é reflexo da vida e vou querer sempre que a equipe pratique bom futebol. Evidente que a gente precisa do resultado a curto prazo, de preferência tentando jogar melhor que o adversário e alinhado com os princípios do clube que eu conheço tão bem”, continua.

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: [email protected]

Deixe seu comentário