Apesar dos protestos, presidente do Grêmio banca Roger Machado

"Entendo que o trabalho é muito consistente", disse Romildo.

Foto - Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Na última sexta-feira, o Grêmio amargou uma derrota para o Ituano por 1 a 0 dentro de casa, completando três jogos seguidos sem vencer no Campeonato Brasileiro da Série B. O resultado, que foi excelente para o Bahia, gerou a revolta da torcida presente na Arena do Grêmio. Os pouco mais de 13 mil gremistas não pouparam vaias ao time, com gritos de “time sem vergonha” e xingamentos ao técnico Roger Machado. Os torcedores também pediram a volta do treinador Renato Gaúcho. Após as críticas, o presidente Romildo Bolzan se manifestou e defendeu o trabalho do técnico Roger Machado. O mandatário ressaltou a convicção no trabalho realizado pelo treinador.

 

“Entendo que o trabalho é muito consistente. Tenho plena convicção que há absoluta sintonia entre o elenco e a comissão técnica, com o Roger. O que tivemos aqui hoje foi aquilo que todos estávamos preocupados que não devia acontecer, todos querendo saber qual rodada vamos chegar matematicamente na Série A. Isso serve para todos baixarem a guarda, botar a consciência no lugar, o caminho no prumo certo, os pés no chão e organizar as ideias de que as conquistas serão obtidas se eu quiser que efetivamente aconteçam, e não desejando aquilo que os outros desejam”, disse Romildo Bolzan.

Com o revés para o Ituano, o time gremista permaneceu na 3ª colocação, com 44 pontos, e pode ver o Bahia abrir 3 pontos ou então ser ultrapassado pelo Vasco, portanto, precisa torcer por um empate no confronto direto entre cariocas e baianos. A equipe cruzmaltina ocupa a 4ª colocação, com 42 pontos. O próximo jogo gremista na Série B é na terça-feira, 20h30, fora de casa, diante do Criciúma.

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário