Empresa move ação contra 11 clubes por placas de publicidade no Brasileirão

a Sport Promotion foi à Justiça e obteve decisão favorável.

Atlético-GO x Flamengo: jogo teve placas de publicidade da Brax — Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

Na última sexta-feira, a empresa Sport Promotion conseguiu uma liminar na Justiça para impedir 11 clubes de romper o contrato, que vale até o fim de 2023, para divulgação de marcas nas placas de publicidade dos estádios. Os clubes são: Ceará, Atlético-MG, Coritiba, Cuiabá, Juventude, Fortaleza, Fluminense, Goiás. América-MG, Atlético-GO e Avaí. A decisão foi da juíza Simone Gastesi Chevrand, da 40ª Vara Cível do Rio de Janeiro. A notícia foi publicada inicialmente pelo portal Máquina do Esporte.

 

As agremiações haviam rompido o contrato com a Sport Promotion para assinar com uma concorrente, a Brax, uma fusão de outras três empresas. A proposta da Brax superou o que a Sport Promotion pagava. Essas empresas compram diretamente dos clubes mandantes os espaços nas placas em volta do campo e os revendem a patrocinadores.

Com o rompimento do contrato, a Sport Promotion foi à Justiça e obteve decisão favorável. No texto, disponível no site do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, a juíza Simone Chevrand estabelece uma multa de R$ 100 mil por dia em caso de descumprimento.

“De concreto, então, o que se tem é a aptidão da autora para prosseguir no curso do contrato, em legítima expectativa do que fora inicialmente e para o que investiu valores altos ainda que em período tão desfavorável”, diz trecho da sentença.

No sábado, na rodada de abertura do Campeonato Brasileiro, o Fluminense, mandante no jogo contra o Santos, exibiu placas de publicidade negociadas pela Sport Promotion. Por outro lado, o Atlético-GO, que recebeu o Flamengo, mesmo com a decisão judicial, expôs placas negociadas pela Brax.

 

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*