Eleição do Sindeclubes é suspensa e decisão pode afetar atuais diretores da CBF

Segundo o site ge.globo, estatuto do Sindeclubes projeta eleição realizada até novembro deste ano

Foto: CBF

O Sindicato dos Empregados em Clubes, Federações e Confederações Esportivas e Atletas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro (Sindeclubes) teve a eleição para definir o seu novo quadro suspensa nesta terça-feira (29). Na ocasião, quatro gestores da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Gillnei Botrel, Fernando França e Reynaldo Buzzoni tentariam a reeleição. Por outro lado, Manoel Flores buscaria um cargo no sindicato de forma inédita.

 

A integração no processo selaria aos diretores uma estabilidade no emprego até o término no pleito, onde garantiriam mais três anos uma vez que fossem eleitos. Segundo o site ge.globo, o estatuto do Sindeclubes projeta que a eleição seja realizada até novembro deste ano.

Ainda assim, os três que almejam a permanência no cargo possuem estabilidade garantida até dezembro, período em que se encerra o atual mandato. Já Manoel Flores não detém garantias. Atrelado a isso, o quadro diretivo da CBF encara uma reformulação depois da eleição de Ednaldo Rodrigues à presidente da entidade máxima do futebol brasileiro.

Conforme publicado pelo colunista Ancelmo Gois, do jornal O Globo, o cargo de diretor prevê uma arrecadação salarial de R$ 87.939,48. Anteriormente, a votação seria realizada em novembro deste ano, no entanto, precisou ser antecipada em função de uma mudança de estatuto feita no fim de 2021. Por fim, a eleição deve retornar a sua data inicial, prevista para novembro deste ano.

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*