Paralisado pela Anvisa, Brasil x Argentina será remarcado pela FIFA

Interrompida em função da entrada em campo de agentes da Anvisa, partida pode acontecer na data Fifa de junho

A Federação Internacional de Futebol (Fifa) divulgou, nesta segunda-feira (14), a decisão de remarcar a partida entre Brasil e Argentina, pela 6ª rodada das Eliminatórias sul-americana da Copa do Mundo 2022. Paralisado em função da entrada em campo de agentes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o jogo terá novo local e data a serem anunciados pela entidade máxima do futebol interacional.

 

Ainda assim, a remarcação do embate sequer altera a formatação atual da tabela da competição. Isso porque, tanto a Canarinho quanto a Albiceleste, já estão consolidadas no Mundial do Catar. Nesse sentido, a Conmebol delimitou a decisão da Fifa, uma vez que a projeção da entidade era realizar o jogo dentro das quatro linhas. Em contrapartida, a CBF e a Associação de Futebol Argentino (AFA) gostariam de obter os pontos do jogo.

Com o decreto, o clássico pode ser agendado para a data Fifa de junho. Além disso, a Fifa também anunciou multas de 550 mil francos suíços (aproximadamente R$ 3,1 milhões na cotação atual) para a CBF em função de problemas organizacionais do jogo e da invasão de campo.

Do mesmo modo, a AFA foi penalizada em 250 mil francos (cerca de R$ 1,4 milhão), visto que seus atletas ludibriaram as regras sanitárias do Brasil. Os jogadores Emiliano Martínez, Giovanni Lo Celso, Cristian Romero e Emiliano Buendía receberam suspensões de dois jogos. Eles devem cumprir as penalidades na data Fifa de março.

Em síntese, as duas entidades ainda podem recorrer da decisão da Fifa. Tanto no Comitê de Apelação quanto, em segunda ordem, no Tribunal Arbitral do Esporte (TAS).

“Como presidente da AFA, prometo fazer todos os esforços necessários e recorrer da decisão da Fifa em relação ao jogo classificatório com o Brasil. Nossa prioridade é a seleção argentina sempre”, sinalizou Chiqui Tapia, chefão da Associação de Futebol Argentino, por meio da rede social Twitter.

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*