Bahia tem estrutura e time para buscar o título da Sul-Americana

"Bahia tem sim estrutura e equipe pra buscar essa competição"

Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

Com as eliminações de Fortaleza, Atlético-MG, Goiás e Fluminense, apenas dois clubes brasileiros seguem vivos na Sul-Americana 2020. Vasco da Gama, que eliminou o Oriente Petrolero, e o Bahia que despachou o Nacional-PAR com o placar agregado de 6 a 1 (3 a 0 na Fonte Nova e 3 a 1 no Paraguai). A segunda fase da Copa Sul-Americana, ainda sem data para acontecer devido a pandemia do coronavírus, irá reunir 32 equipes, sendo 22 classificados da primeira fase e mais 10 equipes procedentes da Libertadores. Com 6 pontos somados e saldo de cinco gols (6 x 1), o Esquadrão se garante entre os seis times de melhor desempenho na fase inicial da Sul-Americana que irão se juntar aos 10 times eliminados da Copa Libertadores (contando oito terceiros colocados da fase de grupos e mais dois times eliminados na terceira fase preliminar). No pote 2, as 16 demais equipes classificadas.

 

Com a paralisação de todos os campeonatos, aproveitamos para repostar um texto do torcedor Diego Campos sobre a importância do Bahia em ter ambição e projetar o título da Copa Sul-Americana, afirmando que o Esquadrão tem time e estrutura para buscar a competição. Veja abaixo:

“Estava a assistir o jogo entre Olímpia e Defensa y Justicia logo que cheguei a minha casa e matutei comigo sobre a importância das copas na vida de um clube na atualidade, em especial em copas internacionais. Mas ora bolas, o que um torcedor do Bahia tem a ver com isso? Isso pode ser um questionamento de quem vai ler essa postagem, enfim, adiante explicarei. Nesse ano de 2020 já começamos com o pé esquerdo na fatídica eliminação ocorrida contra o River do Piauí, vergonhosamente não conseguimos ao menos empatar uma partida onde o empate bastava para classificar e mesmo assim fomos eliminados da miliardária Copa do Brasil.

Competição essa que nesse ano tem sido a redenção dos clubes de menor investimento e que é de longe uma fábrica de zebras cada vez mais disputadas como o ultimo prato de comida dessas equipes que por vezes salvam os seus anos com as premiações que recebem. O exemplo do Esquadrão também caiu o Atlético MG e o Sport-PE. Cruzeiro encontra-se em situação difícil já que tomou 2 a 0 em casa contra o CRB, além do Fluminense que perdeu seu primeiro jogo para o Figueirense por 1 a 0.

Mas não é da Copa do Brasil que quero falar sim das Copas Internacionais, Libertadores e Sul-Americana que são campeonatos onde as equipes devem se habituar a disputar, pois a experiência nessas competições é que podem levar ao êxito ou a conquista de uma delas. É um processo que deve ser continuado, pois é um tipo de disputa especifica e requer continuidade.

Clubes tradicionais com rodagem nessas competições já criaram a casca e sabem disputá-la, muitas vezes com times inferiores tecnicamente, mas pelo conhecimento e reiteradas disputas levam vantagem, por vezes , olha-se times no papel, com orçamento inferior e mesmo assim e se classificam ou eliminam clubes de maior investimento em diversas ocasiões por já estar acostumadas a disputar copas nesse formato.

O Esporte Clube Bahia tem que se acostumar cada vez mais em disputar Copas Internacionais, tem que estar todo ano lá quer seja na Sula ou almejando uma vaga na Libertadores. A Sul-Americana esse ano começou bem, eliminamos o Nacional do Paraguai de maneira inconteste e nos classificamos para segunda fase com louvor. A projeção para essa deve ser sim de título, não se pode pensar de maneira diferente, tem que ter ambição, afinal, não se pode entrar pra fazer figuração em campeonato nenhum.

A Copa Sul-Americana além de gerar uma premiação razoável, em dólar, o título pode dar uma projeção internacional à marca, classificar para disputa da RECOPA Sul-Americana e pode levar a disputa do Mundial de Clubes, isso mesmo, os últimos dois campeões da Sula se classificam para o mundial, que mudou o formato e vai contar com 24 equipes.

O Bahia tem que projetar o título da Sul-Americana sim, o ganho será monumental e pode levar o clube aos holofotes mundiais. Sou da máxima que título não se disputa, se ganha e o Bahia tem sim estrutura e equipe para buscar essa competição que com essa formatação é o caminho mais frutuoso para o estabelecimento enquanto expoente no Brasil e no mundo.

Diego Campos, torcedor do Bahia e colaborador do Futebol Bahiano”

Confira os possíveis adversários do Bahia na 2ª fase da Sul-Americana

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*