Bahia foi quem mais trocou de treinador desde 2003, aponta levantamento

Esquadrão empata com o Atlético-PR: 63 treinadores

O site Globoesporte fez um levantamento com todas as passagens de treinadores em 21 clubes do país, com mais de 800 trabalhos analisados e mais de 15 mil jogos contabilizados, apurados por Guilherme Maniaudet e Roberto Maleson. Segundo a análise, o tempo médio de permanência de um técnico em um clube da elite no Brasil é de 6.5 meses, e os principais motivos que ajudam a explicar a dança das cadeiras de técnicos no país são: sequência de resultados negativos e as eliminações nas competições. Além disso, os meses com mais trocas são após os Estaduais e Brasileiro.

Porém, o que chamou a atenção no levantamento é a colocação do Esporte Clube Bahia, que ao lado do Atlético-PR, são os times com mais trocas de treinador desde 2003. As duas equipes tiveram 63 comandos diferentes no período de 2003 a 2018, sendo que o Rubro-Negro Paranaense teve 37 contratações de técnicos e o Tricolor Baiano 39. Em 2018, o Esquadrão teve dois técnicos efetivos (Guto Ferreira e Enderson Moreira – atual), e um interino (Cláudio Prates).

Já o Cruzeiro é o “campeão” no quesito de menor rotatividade. Foram apenas 18 técnicos na Raposa e, contando os interinos, 27 comandos diferentes no total. Tricampeão brasileiro com o São Paulo, Muricy Ramalho é o grande destaque da era dos pontos corridos quando o assunto é permanecer no cargo. O ex-treinador permaneceu mais de três anos como técnico do Tricolor Paulista.

Por outro lado, a passagem relâmpago foi do ex-técnico Mário Sérgio, vítima do acidente da Chapecoense em 2016. Em 2007, o comandante permaneceu apenas nove dias à frente do Botafogo. Atualmente, Mano Menezes, do Cruzeiro, é quem está no cargo há mais tempo entre os clubes deste levantamento e caminha para superar Muricy. Veja mais informações.



LEIA MAIS

Deixe seu comentário