Método da divisão de base do Bahia precisa ser repensado

Que a solução para o Bahia ter um time com um bom número de jogadores acima da média, passa pela provisão de talentos pelas Divisões de Base, não tenho dúvida! O problema é que os nossos jogadores são, em grande número, mal formados. Temos laterais que não acertam um cruzamento, meias que não acertam um passe de um metro e atacantes que não sabem finalizar com qualidade.

Em todo seguimento esportivo, a máxima: ” a repetição leva à perfeição”, é seguida à risca, no futebol, pelo que me parece, este conceito não foi incorporado pelos atletas. Prova disso, é que, por muitos anos, o maior batedor de faltas do Brasil, era um goleiro, com todos os riscos que isto acarretava para o time.
Não canso de repetir: o trabalho das divisões de base precisa ser revisto, reduzindo o foco nas competições e aumentando no aprimoramento dos fundamentos (com oficinas lideradas por ex-profissionais de inquestionável qualidade em cada posição).

Nas competições, o jogo coletivo, e a recomendação de que se faça o “feijão com arroz”, inibe no atleta iniciante, a vontade de ousar, de dar vazão a sua criatividade, dando margem a todo o potencial que o garoto possui, e o que se exercita, se aprimora.

Talisca foi um atleta inteligente, pois treinou muito as cobranças de falta, que pelas suas belas execuções, calou a boca de muitos críticos, além de contribuir para o aprimoramento das finalizações em geral.

Assisti a vários jogos das nossas bases, vi muito chutão, muitos erros de passes, muita aplicação tática, muito antifutebol, e bem pouco futebol.

Não consegui perceber ali, como uma mina de ouro, riquíssima. Percebi alguns jogadores de qualidade, mas que precisam ser aprimorados, só não consigo notar a evolução destes atletas naqueles fundamentos básicos, citados mais acima, no próprio texto.

Digo isso, mas concordo que a torcida precisa ser mais paciente com os garotos da base, porém, acho que estes jogadores precisam se aprimorar, e isto depende de aplicação pessoal dos atletas, dos profissionais da base e do remodelamento do trabalho que é feito hoje em dia.

Ramon – Torcedor do Bahia e amigo do BLOG