Copa NE: Ceará x Vitória – Vovô cruel e presepeiro.

O histórico de jogos entre Ceará e Vitória, adversários que se enfrentam nesta quarta-feira pela Copa do Nordeste, é extenso, com o Esporte Clube Vitória levando uma pequena vantagem, em todas as competições onde tiveram envolvidos, Campeonatos Brasileiros das Séries A e B e na que importa neste momento: Copa do Nordeste.

Por essa competição, foram 11 jogos, sendo que seis acabaram empatados, três partidas foram vencidas pelo Esporte Clube Vitória, enquanto o Ceará ganhou e arreganhou por duas vezes, com duas goleadas expressivas, que representaram a eliminação rubro-negra da competição, de forma vergonha. MAS em matéria de vexame, o Ceará é o verdadeiro recordista de público e renda, despachadamente nesta competição, especificamente neste item, enquanto o Leão baiano é o vice, já que o Ceará que nunca ganhou a Copa do Nordeste, avançou despachando o Vitória  em duas semifinais, contudo foi despachado na sequência e em ambas oportunidades, diante de um público estimado de mais de 120 mil pessoas.

Em 2013 (assim como vai ocorrer neste ano), o primeiro jogo foi em Fortaleza e o Leão venceu o primeiro jogo por 2 x 0 e, ao final da partida, a classificação já era dada como certa, já que para o Ceará, só restava aquilo considerado como impossível, ou seja, uma espécie de milagre até então desconhecido: vencer o poderoso Leão, dentro do Estádio que, naquela época, ainda era conhecido e considerado como “santuário”, pelos religiosos e Barraquistão para os adeptos de Alá. Moral comum a todos: Vitória 1 x 4 Ceará, com o cearenses caminhando em direção do ASA de Arapiraca, e ai, o vexame mudou de lado.

No primeiro jogo realizado no Estádio Coaracy Fonseca, em Arapiraca, em um duelo repleto de alternativas, emoções e uma chuva de gols, ao seu final, deu ASA 3 x 3 Ceará. Vovô com a mão na taça.

No segundo jogo, disputado em Fortaleza, o Ceará conquistava o titulo inédito até aos 38 minutos do segundo tempo, com o empate de 0 x 0, MAS, Léo Ramalho, hoje atuando pelo Bahia, marcou o gol do triunfo dos alagoanos, calando os 56 mil torcedores cearenses, em uma partida que registrou o maior público do futebol cearense na década (e o sexto maior no século), até então, com uma renda bruta de R$ 1.266.417,70. Na sequência da competição, o ASA não resistiu e acabou como o vice-campeão, com o Campinense conquistando o titulo inédito na sua história.

Já no ano de 2014, outra vez pela semifinal, a ordem dos jogos foi invertida, no entanto, o vexame reservou uma proporção maior, mas de consequência idêntica para ambos os times. O primeiro jogo, realizado no Barradão, Vitória e Ceará ficam no empate em 1 x 1. Mas no segundo, agora realizado no Estádio Presidente Vargas, com o atacante Bill, hoje atuando no Botafogo, marcando três gols, deu Ceará, na época treinado por Sérgio Soares, 5 x 1 Vitória.

No entanto, novo vexame do Ceará, já que quando da publicação do juízo final, o Sport-PE, próximo adversário do Bahia na quarta-feira, sagrou-se tricampeão da Copa do Nordeste na sua edição 2014, após vencer o Ceará em casa por 2 x 0 e empatar em 1 x 1 na Arena Castelão, diante de um público superior a 50 mil torcedores decepcionados.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*