Leão na Toca X Leão fora da Toca!

Já não é de hoje que atestamos o envolvimento e a união demonstrados pelo grupo do Vitória na atual temporada. Mas, infelizmente, também já ficou visível um dos principais problemas do rubro-negro em 2010 – que se não for corrigido poderá nos trazer sérios prejuízos: a postura do Vitória fora de casa.

Dificilmente o Leão é batido no Barradão. É impressionante a capacidade do Vitória em se superar no seu santuário. E não importa o contexto, se é contra um rival mais qualificado, se houve alguma expulsão do lado rubro-negro no decorrer da partida, enfim, todas essas questões parecem perder força. Em outras palavras, no Manoel Barradas o time incorpora a atitude e o espírito necessários para se chegar ao topo.

Por outro lado, basta colocar o pé fora da Toca que a coisa muda. Não vou ser tão cruel a ponto de dizer que a postura é covarde, pois, isso seria desmerecer todo o trabalho e desejo de triunfos que a “família Silva” (apesar de suas limitações) vem demonstrando. Mas, o fato é que o rubro-negro fora de seus domínios não lembra um terço do Vitória em casa. A equipe geralmente pratica um futebol modesto, tímido, acanhado e sem pegada. E isso foi a tônica de todo o semestre, pois sofremos em confrontos com oponentes tanto de mais expressão como os mais frágeis.

Camisas 6 e 10

Pegando carona no tema “problema”, vale lembrar que o Leão precisa urgentemente resolver as carências da lateral esquerda e camisa 10. No primeiro caso, Egídio precisa de uma sombra, pois Maurim não aprovou, e quanto à necessidade de um homem de criação, basta assistir algum jogo do Vitória e comprovar que não temos aquele meia que desequilibra, que assume a responsabilidade, que passa aquela sensação do “toca aqui que eu resolvo!”. Não podemos ficar na dependência de Ramon, haja vista o mesmo não ter mais a capacidade física de outros tempos. E cá pra nós… meu xará, Renato Ribeiro, também não é a solução.

Tirando o “fator Barradão”, que vai muito bem, obrigado, precisamos contratar peças qualificadas para o restante do Campeonato Brasileiro e, acima de tudo, mudar nossa proposta de jogo fora de casa, afinal, após a Copa do Mundo teremos pela frente a maior chance de conquistar um título nacional da nossa história (porém, se jogarmos dessa maneira contra o Santos, em São Paulo, teremos, com toda a certeza, um Barradão desmotivado no jogo de volta). Talvez, essa pausa tenha sido a colher de chá para que a ficha de Ricardo Silva caia.

Saudações Rubro-Negras!

Renato dos Anjos Ribeiro Rubro-negro e fisioterapeuta.

E-mail: [email protected]/ Barradão Online

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*