O possível bi mais difícil do Leão

Ninguém do Vitória arrisca falar sobre o possível bicampeonato, caso vença os dois jogos restantes. Mas, caso o título chegue, é unânime na Toca que será o mais difícil da história recente do Leão, segundo alguns funcionários e dirigentes mais antigos.

Desde 1969 no clube, Mário Silva, supervisor do Vitória, assegura que este possível bi é o mais complicado nos últimos 60 anos. Olhando os quadros dos principais elencos que defenderam o Leão, pendurados na sua sala, Mário assegura: “Difícil, viu. Lembro que em nosso tricampeonato tínhamos um time pior ou melhor que o ano anterior. Mas sempre fazíamos as melhores campanhas, principalmente nas finais”, disse o funcionário.

Na última vez que o Vitória conseguiu dois canecos seguidos veio de forma polêmica. Em 1999, o Bahia se recusou a fazer a final no Barradão. A decisão teve que ir para justiça, que decidiu, anos mais tarde, que o título seria dividido. Entretanto, dentro de campo, o Vitória foi superior na classificação geral, dando inclusive o troco no ano posterior, vencendo o rival, já dentro do Barradão, por 3 a 1.

Desde 1989, o Vitória conquistou o Estadual 12 das 20 últimas edições. Destas conquistas, apenas a de 1992 não teve seqüência ao grito de campeão. Esta história recente do Campeonato Baiano também deu outras alegrias maiores ao Leão. Nos anos de 1995, 96 e 97 o Vitória foi imbatível, fazendo o primeiro tricampeonato na história rubro-negra em Estaduais.

Curiosamente, no primeiro ano do tri o meia Ramon Menezes foi o grande destaque da Toca, ficando inclusive com o status de artilheiro do certame, com 25 gols. Para Ramon, este bi só será concretizado com muito suor e raça. “Não ganhamos nada ainda. Claro que, caso nossa equipe consiga o triunfo contra o Vitória da Conquista, as coisas melhoram. Mas você acha que vai ser fácil? É por isso que o Ba-Vi já é passado pra nós, e garanto que o jogo de Conquista será muito complicado”, disse.

As últimas conquistas consecutivas do Vitória foram a partir de 2002. Até 2005, o Leão ficou com o status de tetracampeão do Baiano. Só não foi penta devido ao surpreendente Colo-Colo de Ilhéus, que melou a hegemonia rubro-negra. Batatais e Jackson disputam última vaga O treinador do Vitória, Vagner Mancini, relacionou dezoito jogadores para a partida decisiva contra o Vitória da Conquista, em Conquista, nesta quinta-feira. Entretanto, um dos escalados para participar da partida pode não reunir condições físicas ideais para auxiliar a equipe no estádio Lomanto Júnior.

O zagueiro Marcelo Batatais, que não jogou o clássico do último domingo, pode continuar de fora do time, pois machucou o tornozelo direito no treinamento recreativo ocorrido na última segunda-feira, na Toca do Leão, e caso não seja liberado pelos médicos, pode ser obrigado a cancelar a viagem para ficar em tratamento em Salvador.

Já o meia Jackson, que não foi relacionado no grupo em um primeiro momento, pode ganhar a vaga de Batatais entre os dezoito que vão a Conquista. O jogador teve sensível melhora na contusão do calcanhar esquerdo que prejudica seu desempenho há mais de duas semanas.

Mas apesar da confiança que goza diante de Mancini, Jackson pode continuar de fora do time. Cortado do último Ba-Vi, o atleta foi substituído por Marco Antônio, que reforçou a marcação no setor e conseguiu dar dinamismo ao time, tirando dos ombros de Ramon Menezes a responsabilidade solitária de criar jogadas.

Diante do sucesso da escalação do time que venceu o Bahia, o treinador não deverá retornar à formação antiga. Mancini ainda terá a volta do volante Vanderson, que não jogou o clássico devido a uma expulsão e foi substituído por Renan, que estreou bem e deve ser mantido na equipe. Quem deve sair é André Silva. A Tarde/UOL

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*