Ex-jogador Richarlyson assume ser bissexual e detona homofobia

O ex-atleta, hoje aos 39 anos, frisou como o preconceito o perseguiu durante a carreira inteira e detonou a homofobia. 

Foto: Marcos Ribolli

Revelado na base do Esporte Clube Vitória e com passagens também por outros clubes tradicionais do futebol brasileiro, como São Paulo e Atlético-MG, o ex-jogador e hoje comentarista Richarlyson assumiu ser bissexual em entrevista no podcast “Nos Armários dos Vestiários”, uma série jornalística que detalha a homofobia e o machismo no futebol brasileiro. O ex-atleta, hoje aos 39 anos, frisou como o preconceito o perseguiu durante a carreira inteira e detonou a homofobia.

 

“A vida inteira me perguntaram se sou gay. Eu já me relacionei com homem e já me relacionei com mulher também. Só que aí eu falo hoje aqui e daqui a pouco estará estampada a notícia: “Richarlyson é bissexual”. E o meme já vem pronto. Dirão: “Nossa, mas jura? Eu nem imaginava”. Cara, eu sou normal, eu tenho vontades e desejos. Já namorei homem, já namorei mulher, mas e aí? Vai fazer o quê? Nada. Vai pintar uma manchete que o Richarlyson falou em um podcast que é bissexual. Legal. E aí vai chover de reportagens, e o mais importante, que é pauta, não vai mudar, que é a questão da homofobia. Infelizmente, o mundo não está preparado para ter essa discussão e lidar com naturalidade com isso”, afirmou Richarlyson.

“Pelo tanto de pessoas que falam que é importante meu posicionamento, hoje eu resolvi falar: sou bissexual. Se era isso que faltava, ok. Pronto. Agora eu quero ver se realmente vai melhorar, porque é esse o meu questionamento. Você me entende por que eu acho que é desnecessário às vezes você se rotular? Tem uma questão mais importante, tem gente morrendo, o Brasil é o país que mais mata homossexuais. E a gente está aqui falando de futebol, ok, mas o futebol é um negocinho pequeno. Ah, mas sua fala pode ajudar. Não, não vai ajudar. Quem é Richarlyson, pelo amor de Deus?! Sou um mero cidadão comum, que teve uma história bacana no futebol, mas eu não vou poder mover montanhas para que acabem esses crimes, para que acabe a homofobia no futebol”, disse o ex-jogador.

Filho do ex-jogador Lela, ponta-direita que foi campeão brasileiro pelo Coritiba em 1985, e também irmão do atacante Alecsandro, revelado no Vitória, Richarlyson ainda não tem estreia definida no Noroeste. O time faz dois jogos em seguida dentro de casa, o primeiro deles neste sábado, às 16h, diante do Nacional, o seguinte apenas uma semana depois, no dia 1º de março, contra o Velo Clube. A expectativa da comissão técnica é que Ricky esteja totalmente à disposição apenas para o duelo com o time de Rio Claro.

Natural de Natal, Richarlyson foi revelado pelo São Luiz e acumula passagens por Ituano, Santo André, Fortaleza, Red Bull da Áustria, São Paulo (onde jogou de 2005 a 2010), Atlético Mineiro (de 2011 a 2013). Defendeu o Vitória em 2014, entrando em campo 27 vezes e anotando 1 gol. Deixou o Leão no ano seguinte e rodou ainda por Chapecoense (2015), Grêmio Novorizontino (2016), FC Goa da Índia e Guarani (2017) e Cianorte (2018). Na temporada 2019, defendeu Noroeste e Campinense. Após se aposentar, virou comentarista da Rede Globo.

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*