Guto avalia eliminações e diz ter condições de ‘tocar o barco’ no Bahia

Guto lembrou do atentado ao ônibus do Bahia, que tirou Danilo Fernandes do time.

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

O Esporte Clube Bahia vem de uma sequência de três triunfos seguidos (Jacuipense, Vitória da Conquista e Sergipe), porém, eles não adiantaram de nada. Tanto no Campeonato Baiano como na Copa do Nordeste, o Esquadrão chegou na última rodada fora do G-4 e precisando de uma combinação de resultados, mas foi eliminado em ambos. Agora o Tricolor só volta a jogar no dia 9 de abril, contra o Cruzeiro, na Arena Fonte Nova, pela estreia da Série B do Brasileiro. O técnico Guto Ferreira espera que o Bahia “não fique mais no quase”.

 

“Ficamos no “quase”, infelizmente. Agora não podemos ficar no “quase”. Temos que trabalhar para atingir a nossa meta. E é isso que vamos fazer.”, disse Guto Ferreira. 

Guto lembrou do atentado ao ônibus do Bahia, que tirou Danilo Fernandes do time. “Tudo passa por situações que vão acumulando, que não vão acontecendo. Por exemplo, nós tivemos situações de não poder contar com alguns jogadores pela explosão da bomba. A gente contava com isso? Não contava. São situações que você tem que administrar. O Danilo ainda não voltou. É um jogador importantíssimo dentro da estrutura. Eu não estou colocando todo em cima disso. Estou citando que são coisas que vão acontecendo e que você vai tendo que administrar. De certa forma, a gente tinha a gama de ferramentas diminuída. Uma situação de problema amplo. E a gente buscou fazer o melhor.”

Apesar das eliminações, Guto não vê cenário de terra arrasada. “Como eu digo sempre, vocês me pedem análises, mas eu não tenho que fazer análises. Dentro da minha análise, o meu trabalho tem crescido. Tem sido de bom nível e tem um caminho, um meio, e tenho certeza de que vamos atingir o que queremos lá na frente. Quando eu sentir que meu trabalho não está acontecendo, não está crescendo, que eu não tenho condições de atingir o que está sendo pedido, eu vou ser o primeiro a chamar o presidente e falar “Olha, eu não tenho condições de tocar o barco”” concluiu.

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário