Bobô fala sobre planejamento para disputar a presidência do Bahia

"É uma eleição tão complexa e tão difícil quanto a eleição para deputado"

Foto: ALBA

Reeleito em 2020 com 9941 votos, 86% do total (vencendo Lúcio Rios, que teve 1648 votos), o presidente Guilherme Bellintani comandará o Esporte Clube Bahia até o final de 2023, quando será realizada uma nova eleição. Como está no seu segundo mandato, o gestor não poderá mais ser candidato, mas o seu grupo certamente irá indicar alguém. Diferente da última eleição, em 2023 poderemos ter um leque maior de opções, visto que a atual gestão vem sendo muito criticada e se não reverter a situação até lá, a possibilidade de um novo grupo assumir a administração do clube é grande.

 

Um nome que vem sendo falado com frequência é o de Bobô, um dos maiores ídolos da história do Esporte Clube Bahia. Atualmente deputado estadual pelo PCdoB, o ex-jogador já manifestou diversas vezes o desejo de presidir o clube. Porém, caso ele decida disputar o pleito em 2023, não terá como conciliar com o cargo político. Em entrevista ao Bahia Notícias, ele falou sobre o assunto.

“Ao mesmo tempo não dá. Nós temos um ano para buscar essa reeleição para deputado, que é neste ano. No ano que vem, é a eleição do Bahia. Nós temos mais dois anos até lá, porque a eleição é em dezembro de 2023. Então fica mais tranquilo para a gente poder organizar esse processo”, disse. 

Bobô falou sobre o planejamento para sair candidato à eleição no Bahia e frisou que é um pouco complexo. Ele lembrou que é preciso criar uma chapa que dispute a eleição do Conselho Deliberativo, algo que se tornou obrigatório a partir do pleito de 2020.

“Não é um processo simples. É uma eleição tão complexa e tão difícil quanto a eleição para deputado. Claro, com um número menor de pessoas. São sócios que votam. Mas a gente tem que estruturar pelo menos uma chapa para o Conselho do clube, discutir quem vai querer participar, estruturar essas parcerias e verificar se é possível mesmo a gente consolidar esse sonho de um dia pelo menos colocar o meu nome à presidência do clube. Não é algo simples, não é algo fácil. Estamos falando do Bahia, da grandiosidade do Bahia, então vamos ter muita paciência e muita calma para essa decisão”, complementou Bobô.

“A eleição do Bahia é no próximo ano. Então dá tranquilamente para se discutir isso, fazer um planejamento nesse sentido, verificar a questão das parcerias, dos nomes para composição de Conselho e ver se realmente vale a pena nosso nome estar à frente de um momento tão importante como uma eleição do nosso clube”, indicou.

Principal jogador do timaço formado por Evaristo de Macedo que conquistou o bicampeonato brasileiro em 1988, Raimundo Nonato Tavares da Silva, mais conhecido como Bobô, além de ter feito história como atleta, também foi treinador do Esquadrão e conquistou o título da Copa do Nordeste em 2002. Anos depois de treinar o Bahia, Bobô assumiu a presidência da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb). Em 2014, ele foi eleito deputado estadual pelo PCdoB com mais de 27 mil votos. Em 2018, foi reeleito com quase 58 mil votos.

Deixe seu comentário!

2 Comentário

  1. Tenho minhas dúvidas se Bobô é realmente o cara para transformar o Bahia, ele teve oportunidade como Diretor de futebol na época das trevas e rebaixou o Bahia, ele era quem comandava a sudesb e mesmo com todo indício que ele deveria interditar o anel superior da fonte nova, não o fez, e infelizmente vitimou sete pessoas, ele é favorável a SAF, para mim SAF é SOCORRO a ADMINISTRADOR FRACASSADO, se ele não tem capacidade de reverter a situação nunca pensar em tornar o Bahia com dono, toda luta pela democracia do clube era justamente tirar das mãos dos antigos donos.,

1 Trackback / Pingback

  1. Baianão tem duelo de lanternas e jogo que pode mexer na liderança neste domingo

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*