Guadagnucci se diz surpreso e chateado com demissão no Bahia: “Triste da maneira que foi”

"Me pegou de surpresa a demissão, somente nesse momento", disse.

Foto: Marco Galvão/ECB

No clube desde setembro de 2019, o treinador Eduardo Guadagnucci foi desligado do time sub-20 do Esporte Clube Bahia nos últimos dias, após eliminação na primeira fase da Copa do Nordeste da categoria. O técnico, que também treinou a equipe sub-17, assumiu o time sub-20 após saída de Carlos Amadeu em agosto de 2020. Apesar do título estadual e vice-campeonato da Copa do Brasil, o Esquadrãozinho não foi bem no Brasileiro e no regional. Em entrevista ao programa BN Na Bola, da Rádio Salvador FM 92,3, o treinador admitiu que ficou surpresa com a demissão e triste da maneira como aconteceu.

 

“Triste da maneira que foi. Me pegou de surpresa a demissão, somente nesse momento. A gente sabe que a Copa São Paulo é de suma importância para os meninos e para mim também, que tenho um plano de carreira, que sonho em ser treinador. E tudo o que passei no clube, da maneira que cheguei. Em nenhum momento eu pedi para estar lá, o clube que me colocou lá quando mais precisou e eu dei conta. Atingi os objetivos, os resultados expressivos e nesse momento me tiraram. Fico chateado sim, mas tenho que entender. É o preço que se paga, é um cargo muito grande. A gente sabe da dificuldade do profissional e sabíamos que ia respingar. Não tinha como, a pressão que o pessoal sente”, disse. 

“Se falar dos resultados, da rotatividade de atletas, se isso atrapalhou em algum momento os resultados? Eu não vejo dessa maneira. Dentro do Brasileiro, a gente sabe da nossa realidade. O objetivo não é ser campeão brasileiro. Sempre foi o objetivo competir da melhor maneira, mostrar os meninos, mostrar o que o Bahia é e isso eu tenho certeza que consegui. Consegui ser competitivo mesmo da maneira que foi. Perder jogadores dentro da competição, não fazer a preparação para o campeonato brasileiro quando eu estava na transição, tudo isso agrega, mas isso não pode ser determinante como uma desculpa. A responsabilidade era minha, estava nas minhas mãos fazer Brasileiros melhores, mas o grande objetivo do clube que era sempre estar na Copa do Brasil, sendo campeão baiano, isso eu consegui alcançar. Então não vejo isso como um fator determinante para a minha saída. Vejo uma escolha da diretoria”, disse.

“O legado que eu deixo, com certeza, é a maneira de jogar que impactou dentro do clube, impactou a Bahia, a imprensa sempre falou. Os meninos que subiram, tenho certeza absoluta que Thiago, Patrick, Daniel, Marcelo e outros que estão para subir e vão aparecer logo”, avaliou.

Com a saída de Guadagnucci, Fernando Oliveira assume o comando da equipe que se prepara para disputa da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Ele acabou de ser campeão baiano com o Esquadrãozinho na categoria sub-17.

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário