Goleiro Jean explica ‘vapo’, é criticado por técnico e faz Cerro reavaliar compra

Revelado pelo Esquadrão de Aço, Jean disputou 25 jogos pelo Ciclón de Barrio Obrero neste ano

Com apenas 26 anos, o goleiro Jean, ex-Bahia, segue acumulando polêmicas dentro da carreira futebolística. Desta vez, após ser expulso no aquecimento do clássico contra o Olímpia, o arqueiro, atualmente no Cerro Porteño, pediu desculpa pelo gesto do ‘vapo-vapo’ feito no último domingo (12).

 

“Gostaria de deixar claro que em nenhum momento fiz ameaça ou gesto ofensivo aos torcedores do Olimpia. O que fiz foi apenas um gesto muito comum no futebol brasileiro muito utilizado pelo Gerson, ex-jogador do Flamengo, que comemorava os gols fazendo ‘Vapo-Vapo’. A torcida do Olimpia estava jogando bombas, sinalizadores e garrafas de refrigerante em mim e fiz o gesto do ‘Vapo’, mas sem intenção alguma de criar algum tipo de mensagem em tom de ameaça a eles”, diz trecho da nota oficial da assessoria do jogador.

“Infelizmente o VAR e o árbitro interpretaram aquilo de maneira errada e optaram por me expulsar, mesmo eu tentando explicar que eles tinham entendido errado”, continua.

“Respeito todos os torcedores de todos os clubes e jamais faria algo relacionado ao que estão falando. Aproveito para pedir desculpas e dizer que fica o aprendizado para não fazer mais nenhum tipo de gesto ou sinal mesmo sendo atacado com objetos e bombas dentro do campo”, completa.

Diante do acontecimento, Jean agora está com futuro indefinido no Ciclón de Barrio Obrero. Segundo o técnico Francisco Arce rechaçou a atitude do jogador, de 26 anos.

“Ele se deixou levar. Cometeu um grave erro. Um erro que creio que um pedido de desculpas não soluciona, por isso mesmo não deixamos que ele fizesse isso no vestiário com seus companheiros”, afirmou. “Tem coisas que ele tem que mudar na sua forma de atuar porque podem servir no Brasil ou em outro lugar, mas não funciona aqui porque o árbitro também reage de forma diferente aqui em relação ao que ele está acostumado”, continuou. “Veremos como isso se resolverá no futuro com o parecer e as determinações da diretoria e também se continuamos (com a negociação)”, finalizou.

De acordo com o site “ge”, emprestado pelo São Paulo, o arqueiro já estava em pauta acerca de um acordo com a equipe paulista e o Cerro Porteño para que a agremiação paraguaia adquirisse o atleta por R$ 6,2 milhões.

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*