Bellintani revela acerto por Índio Ramírez e vê situação de Conti “difícil”

Bellintani chegou a viajar até Portugal para negociar com o Benfica

Nesta quarta-feira, em evento de apresentação do campeão olímpico Hebert Conceição como novo embaixador do Bahia, o presidente Guilherme Bellintani falou sobre a negociação pelo meia Índio Ramírez, que pertence ao Atlético Nacional e está emprestado ao Esquadrão até o final da temporada. O mandatário confirmou que a negociação está avançada e existe um acerto com o clube colombiano para adquirir os direitos econômicos do jogador de 23 anos. Porém, o dirigente frisou que é preciso atingir algumas metas financeiras para ter condições de exercer a opção de compra do atleta.

 

“São duas situações complexas, difíceis. Envolve aquisição de valores que são muito grandes pela realidade financeira do Bahia, pelo que atravessamos. O caso de Ramírez está mais próximo. Diria que já temos um acerto com o Atlético Nacional que prevê um investimento que está estabelecido no contrato. Para que a gente execute esse acordo, esse acerto, a gente precisa atingir algumas metas financeiras. Se a gente atingir no final de novembro, início de dezembro, algumas recuperações financeiras que estamos fazendo, plano de sócios atingindo 30 mil, a gente vai ter condições de adquirir Ramírez em definitivo, que é um passo importante para o clube”, disse.

Em relação ao zagueiro Germán Conti, a situação é mais complexa por envolver valores mais altos. Bellintani chegou a viajar até Portugal para negociar com o Benfica, mas a primeira oferta do clube baiano foi recusada. No contrato de empréstimo, existe uma opção de compra com valor fixado em 2 milhões de euros (aproximadamente R$ 12,6 milhões) por 50% dos direito econômicos. O mandatário afirmou que o clube não tem condições de arcar com esse valor.

“A situação de Conti é um pouco mais difícil, valor mais alto. Jogador de nível europeu de valorização. A minha ida a Lisboa provocou, passei três dias em Lisboa, consegui nas reuniões junto ao Benfica, fazer um primeiro passo, mas ainda distante de um acerto final”, explicou.

 

Deixe seu comentário!

3 Comentário

  1. Entendo até certo a precaução de presidente para não fazer loucuras e consequentemente endividar o Bahia, agora comprar Conti um zagueiro que mostrou qualidade, é um investimento, assim como o nosso rival sem nenhuma condição financeira comprou Pablo Siles e repassou por um valor melhor, o Bahia terá dinheiro da venda de Ramires, doze milhões, que já paga o valor de Conti, o Bahia terá mais três milhões de Moises, o Bahia poderá ainda vender Marco Antônio para exterior, o Bahia ainda poderá vender Clayson, acho uma tremenda burrice ter um jogador novo com excelente qualidade técnica servir de vitrine para todo Brasil e entregar de mão beijada a outro clube do Brasil, e pior de tudo investir valores menores em vários jogadores medíocres é muito menos inteligente que investir em poucos jogadores com muito mais qualidade, isso reflete diretamente qual é o seu objetivo no campeonato, Bahia está há dois anos lutando para não ser rebaixado.

  2. KKKKKKKKK SÓ UM BELLLITANI faria um contrato TIPO CONTI ou seja 12,5 por 50% dos direitos… Está é nossa realidade de uma FRACASSADA GESTÃO que GASTA O MAIOR ORÇAMENTO DE UM CLUBE DO NORTE E NORDESTE… SÓ NÃO ANÚNCIOU VENDA DO FAZENDÃO AINDA POR ESTARMOS BEIRANDO NA ZONA… E AGORA NA ZONA …

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. Veja o provável time do Bahia para jogo decisivo contra o Sport
  2. Rodada péssima complica a vida do Bahia; veja classificação da Série A

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*