Bahia precisa somar metade dos pontos restantes para permanecer na Série A

levando em consideração a "pontuação mágica" na luta contra o rebaixamento, mais sete triunfos e um empate

Recém-chegado na zona de rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro, o Esporte Clube Bahia abre a porta do Z-4. Com a derrota para o Internacional, o Esquadrão de Aço ficou na 17ª posição, a um ponto do Santos (16°). Ainda assim, com 15 jogos pela frente na competição, o Tricolor precisa somar, pelo menos, 22 pontos nas partidas restantes para, eventualmente, escapar da queda.

De acordo com dados do Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o Bahia possui 45,9% de risco de rebaixamento até o término da 22ª rodada. Acima de tudo, sob comando do técnico Diego Dabove o Tricolor somou apenas seis pontos dos 30 disputados nas últimas 10 rodadas. Nesse sentido, apenas 35% de aproveitamento nos 25 jogos feitos até então.

Em suma, seria necessário, levando em consideração a “pontuação mágica” na luta contra o rebaixamento, mais sete triunfos e um empate. Ainda assim, nas últimas cinco temporadas, apenas o rival, Vitória, em 2017, necessitou alcançar 45 pontos para permanecer na elite. Recentemente, em 2020, o Fortaleza escapou do rebaixamento com 41 pontos.
Ainda segundo a UFMG, o risco de rebaixamento de uma agremiação, com 45 pontos, é de 5%. Todavia, o departamento de matemática da instituição projeta que uma campanha de 43 pontos abre margem de queda de 32%.
Deixe seu comentário!

2 Comentário

  1. O CT DIAS D’ÁVILA É UM ELEFANTE BRANCO COMPARANDO COM NOSSO FAZENDÃO… PORQUE VENDER O FAZENDÃO??????? O BAAAEEEA TEM QUE ESTAR ONDE O POVO ESTIVER.. NÃO A VENDA DO FAZENDÃO …

  2. Não só basta fazer metade dos pontos TEM QUE TORCER PARA QUE CONCORRENTES DIRETOS NÃO VENHAM PONTUAR … Está é a FRACASSADA GESTÃO BELLLITANI que afastou o SÓCIO TORCEDOR e agora quer vender o FAZENDÃO….CLUBE que tem maior ORÇAMENTO DO NORTE E NORDESTE gasto com contratos maus feitos e ATLETAS SUPERADOS… CONTA TÁ CHEGANDO …

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*