Daniel Alves precisa de bom rendimento no São Paulo para ser o representante baiano no Mundial de 2022 com a Seleção

Daniel Alves, mesmo aos 38 anos, voltou a ser convocado por Tite

O lateral Daniel Alves é um dos maiores jogadores da Seleção Brasileira na história e um dos últimos baianos que levantaram uma taça com a equipe. Entretanto, por conta da renovação entre os convocados, o atleta nascido em Juazeiro acabou perdendo espaço nas listas de Tite nos últimos dois anos. Porém, com o bom rendimento que vem tendo esse ano no São Paul, o atleta fez o atual treinador do Brasil mudar de ideia, e desta forma a Bahia volta a ter um representante com a camisa amarela.

Com 38 anos recém-completados, o lateral é titular absoluto no São Paulo e tem conseguido bons números no início da temporada atual. Pelo Campeonato Paulista, por exemplo, o tricolor engatou uma sequência de vitórias e ficou com um aproveitamento acima dos 70% na primeira fase. Esse bom rendimento garantiu uma vaga na final e a expectativa de uma conquista que não acontece desde 2005.

Após uma temporada de altos e baixos em 2020, Daniel Alves voltou a ser escalado como lateral direito e deixou de atuar no meio de campo. Essa mudança havia acontecido no ano passado, mas o baixo rendimento do atleta fez com que a situação mudasse. Alguns rumores até indicavam uma possível saída do jogador no início do ano, mas o presidente do São Paulo garantiu que ele vai continuar no elenco até o final do contrato.

O jogador baiano conta com mais de 40 títulos na carreira, mas ainda não conseguiu vencer com a camisa do São Paulo. Como lembra a reportagem da ESPN Brasil, Daniel Alves chegou na equipe em agosto de 2019 e era a esperança do time paulista para as próximas temporadas. Entretanto, o clube não conseguiu render o esperado e Daniel continua sem adicionar nenhuma conquista – algo que nunca aconteceu com o jogador baiano, que foi acostumado com títulos na Seleção Brasileira, no Bahia, no Barcelona, no Sevilla, na Juventus e também no Paris Saint-Germain.

De olho na disputa do Mundial de 2022

A esperança de Daniel Alves é o início positivo do argentino Hernán Crespo, que assinou como novo treinador do São Paulo no início deste ano. Ele conseguiu um aproveitamento de 71,4% neste primeiro semestre e soma 10 vitórias e apenas uma derrota até o início de maio. Ou seja, resultados que mostram um grande potencial da equipe na disputa do Paulistão e também da Copa Libertadores. É importante notar que o treinador gosta do lateral baiano, que foi titular em quase todas essas partidas.

Porém, o objetivo maior do jogador parece ser o retorno para a Seleção Brasileira, principalmente para a disputa do título que ainda não conquistou. Daniel Alves foi campeão quatro vezes vestindo a camisa amarela, mas fracassou nas duas edições de Copa do Mundo em que jogou. A última oportunidade pode ser em 2022, quando a equipe de Tite deve disputar o Mundial no Catar. É uma grande chance, pois o Brasil aparece como principal favorito ao título. Segundo as odds do site de bets em futebol da Betway disponíveis no dia 6 de maio, a Seleção Brasileira aparecia com 14,3% de probabilidade de levar o hexa. Um favoritismo que deixa para trás outras grandes equipes, como a França, a Inglaterra e a Bélgica.

Representante baiano na Seleção

A presença de um jogador baiano na Seleção Brasileira, caso Daniel Alves consiga uma nova oportunidade, pode ser um sinal positivo. Em entrevista para o jornal Correio 24 Horas, o ex-jogador Bebeto, que nasceu em Salvador, já afirmou que para o Brasil vencer o Mundial é preciso ter um baiano entre os convocados. Algo que faz sentido, pois sete jogadores nascidos na Bahia já conquistaram a taça.

Essa presença também faria bem ao futebol baiano, que busca mais espaço no cenário nacional com outros estados do Nordeste. Atualmente, apenas o Bahia vive bom momento em campo e aparece na elite do Campeonato Brasileiro. Isso é pouco para uma região tão tradicional no esporte.

Com pouco mais de um ano para o início da Copa do Mundo de 2022, os torcedores e fãs de Daniel Alves vão precisar acompanhar de perto o rendimento dele pelo São Paulo na temporada. O jogador tem uma grande qualidade e, mesmo com 38 anos, pode fazer muita diferença com a camisa tricolor e também com a da Seleção Brasileira. A esperança é de que Tite enxergue isso quando divulgar as próximas listas de convocados.

Deixe seu comentário!