Estudo e provocação: Teixeira comenta mais um pênalti defendido

Nesta terça-feira, Matheus Teixeira voltou a se destacar

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Com a ausência de Douglas, que testou positivo para Covid-19 e foi prontamente afastado, coube a Matheus Teixeira assumir a titularidade na decisão pela semifinal da Copa do Nordeste no último sábado na Arena Castelão. Quis o destino que o jogo terminasse empatado por 0 a 0 mesmo com a superioridade do Bahia em campo e o goleiro de 22 anos se tornasse o herói defendendo duas cobranças de pênalti e colocando o Esquadrão na final do Nordestão.

 

Nesta terça-feira, Matheus Teixeira voltou a se destacar, agora defendendo um pênalti no primeiro tempo do jogo contra o Guabirá pela Sul-Americana quando o Bahia vencia por 1 a 0. A defesa foi fundamental para evitar que o time boliviano empatasse a partida e contribuindo para a goleada de 5 a 0 em Pituaçu.

O camisa 32 revelou que apesar do estudo feito sobre o cobrador adversário, admitiu que pulou no canto diferente. Fugiu do combinado com o preparador de goleiros, por conta da provocação em campo. Momentos antes do chute, o companheiro Thonny Anderson provocou o atleta do Guabirá-BOL, e por isso ele acreditou que o adversário mudaria de lado. E mudou.

“Nós, como em todos os jogos, recebemos um material para estudar, e era esse mesmo atleta. Ele, nos últimos 4 pênaltis, tinha batido três para esquerda e um no meio. Mas como Thonny provocou ele, eu também fiz um joguinho, confiei que ele fosse mudar. E mudou. É bom poder dar entrevista, falar do jogo, principalmente quando também respondemos bem em campo. Tá dando tudo certo. Fui feliz novamente hoje e espero seguir trabalhando forte para manter”.

 

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário