Bahia prevê queda de R$ 63 milhões na receita em caso de rebaixamento

Bahia apresentou o orçamento para temporada 2021 com dois cenários

Nesta terça-feira, durante reunião virtual com o Conselho Deliberativo, o Esporte Clube Bahia apresentou duas propostas de orçamento para a temporada 2021, visto que o clube tem possibilidade de rebaixamento para Série B. Em caso de descer de divisão, o Esquadrão terá uma queda de receita de R$ 63 milhões, estimando uma receita de cerca de R$ 108 milhões em 2021. No caso de permanência na elite, o Bahia prevê uma arrecadação total de aproximadamente R$ 171 milhões.

 

Mesmo em caso de permanência na Série A, o Bahia estima uma perda no programa de sócios, considerando que terá R$ 25 milhões no ano, contra R$ 29 milhões em 2020. Já em um eventual rebaixamento, o valor arrecadado com a mensalidade dos associados será de R$ 20 milhões. Já a expectativa sobre o Sócio Digital, aplicativo oficial do clube, vai no caminho oposto. O Bahia arrecadou R$ 300 mil com a ferramenta em 2020 e espera conseguir R$ 720 mil no ano de 2021.

Com relação a despesas, em caso de permanência na Série A, o Bahia prevê gastar R$ 79 milhões em salários, valor pouco maior que em 2020, quando gastou R$ 73. O valor com pagamento de direitos de imagem será um pouco menor do que no último exercício: R$ 16 milhões em 2021 contra R$ 17 milhões no ano passado. Se cair para a Série B, o Bahia terá R$ 48 milhões para pagar salários e R$ 5 milhões para direitos de imagem.

 

Comentários:

1 Comentário

  1. No meu modo de ver, precipitado o anuncio deste planejamento, já que não sabe ainda qual divisão do campeonato o clube irá disputar.
    Ainda teremos dois jogos cruciais, pelos quais serão norteados os próximos passos do clube. Podemos assim, dizer que estes dois jogos valem $170.000.000,00 de reais.
    Se o time já capengava em campo com seguidas eliminações e desempenho pífio nas competições que vêm disputando, imaginem negociando seus principais atletas, como afirmou em entrevista o Presidente Guilherme Bellitani!
    O problema é gestão mal sucedida se compararmos com times de menor orçamento como Atlético de Goiás, Ceará e outros.
    Se negociar os principais jogadores e substituí-los por jogadores pontuais com melhor qualidade, certamente, o clube não terá sofrimento de continuidade, porém, se enfraquecer o time com contratações que pouco acrescenta, vamos penar e continuar a dar vexame nas futuras competições, sepultando de vez o sonho da Nação Tricolor de disputar uma Copa Libertadores das Américas.
    e
    Nos preparemos os nosso corações e emoções para dias sombrios nos proximos dois anos de Gestão de Guilherme Bellitani.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*