POR QUE O BAHIA NÃO CONSEGUE CONTRATAR NINGUÉM?

"Ôh Ôh Ôh queremos mais que só jogador!!!!!!"

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Diante de mais um fiasco contra o “poderoso” MELGAR e contando a olhos vistos com jogadores deveras reprovados, a pergunta é “PORQUE O BAHIA NÃO CONSEGUE CONTRATAR NINGUÉM?” E “PORQUÊ NÃO DISPENSA OU EMPRESTA QUEM NÃO TEM CONDIÇÃO DE VESTIR O MANTO TRICOLOR?”. No meu modo de enxergar, o Bahia está satisfeito com esse nivelamento por baixo. Volto a repetir, o plano administrativo NÃO deve ser questionado, pois acho burrice criticar o que está bem feito para tentar justificar o que anda mal, mas é uma miséria o futebol apresentado em campo.

 

Os atletas do Bahia respeitam demais equipes notoriamente mais fracas, não confia que podem se impor contra qualquer adversário. O time só tenta algo após tomar um gol e olhe lá. MANO AINDA NÃO INTERNALIZOU QUE A VISÃO QUE ELE TINHA QUANDO NÃO TREINAVA O BAHIA, TEM QUE MUDAR. Nosso treinador ainda vê o Bahia como o clube “pequeno” que ele enfrentava quando era comandante de outras equipes e põe o Bahia para jogar com uma postura ridícula repetidamente.

Perder e ganhar faz parte do jogo, e dizem que a voz do povo é a voz de Deus, portanto, ouça a voz da torcida e tire quem não está rendendo, quem não compete em campo ou quem está em momento técnico infeliz. Gilberto fez seu melhor jogo quando foi sacado, mas Clayson, Rossi, precisam ser sacados, Élber tirado da relação, pois está com a cabeça completamente fora do Bahia. Mano tem que parar de insistir em seus homens de confiança para NÃO ser um Roger Machado com mais idade.

O Bahia NÃO CONTRATA e emprestou jogadores que poderiam servir, caso de Willean Lepo que fez uma boa jornada com o time de transição e está no Novorizontino, enquanto não temos laterais no elenco. Jogadores querem vir para time cuja vitrine é de conquistas, NÃO para times que se prestam a ser figurantes em campeonato nivelado por baixo e ainda assim se postar como pior entre os piores, como o Bahia vem se comportando em 2020.

O mercado está difícil para todos, mas todos os clubes, contudo apenas o BAHIA não consegue se movimentar e trazer alguém. Recentemente fracassou na tentativa de trazer o zagueiro Luiz Otávio, da Chapecoense, e agora tomou um “não” do Juventude ao tentar um empréstimo do atacante Breno Lopes, artilheiro da Série B. Vieram apenas dois (Anderson Martins e Elias), ambos que estavam desempregados.

Times com o administrativo decadente e devedores contumazes tentando resolver suas situações agindo, exemplo o Fluminense que está nas cabeças com um time mediano para ruim, mas que compete em campo. enquanto Bellintani e o DADE (tão festejado), não se mexe com medo de dever uma grana e ficar no “SERASA”. Tem que lembrar que na Série B a conta é mais cara que dever alguém por um algum tempo.

Fato é que o Bahia vem flertando seriamente com o desastre desde a eliminação contra o River (o do PIAUÍ lá atrás, NA PRIMEIRA FASE DA COPA DO BRASIL E JOGANDO PELO EMPATE), e hoje estamos à deriva na metade do Brasileirão, sem maiores perspectivas e correndo risco iminente de perder a única chance de um possível título de expressão nesse ano, a Copa Sul-Americana.

Até quando isso vai continuar? Até quando nós torcedores continuaremos a ser zoados enquanto os enganadores em campo fingem nos representar? Até quando a diretoria vai continuar inerte e agora com completa falta de transparência sobre a real situação do clube? Até quando jogadores de péssimo nível técnico continuarão sendo titulares tripudiando com o torcedor? E por fim até quando ficaremos sem reforços? Não merecemos tamanho descaso conosco e a instituição precisa de homens que honrem nosso manto como nós honramos nossa paixão.

Diego Campos, torcedor do Bahia e colaborador do Futebol Bahiano. 

 

Deixe seu comentário

3 Comentário

  1. Boa noite para todos..eu não discordo nada duque o Diego Campos escreveu..ele falou a verdade..a diretoria do esporte clube Bahia ê muito lenta..fraca..pessima eles só vão querer tomar alguma dessiçao quando o clube já estiver afundando dentro do z4..quando não tiver mais geito..eu dó meus parabéns para [email protected]

  2. Só discordo do texto quando se fala de boa administração, pois o foco de um empresa é a produção, e se sua produção não vai bem logicamente vai afetar a sua administração e marketing.
    Outrossim, lembro que o produto inicial dessa empresa é a base que está desprezada e esquecida, assim com o produto principal que é o time titular, onde eles dão foco no sub produto, o sub 23.
    Está na hora da mudança.
    Hora do torcedor desapegar a dirigentes e focar no nosso campeão brasileiro.

    • Permita discordar, mas o produto futebol também evoluiu na gestão atual. Veja a seguir:
      1. De 2003 até 2020 (18 tempoaradas) o Bahia ganhou 7 títulos, sendo 1 CNE e 6 baianos (33% dos campeonatos locais. Muito pouco para quem sempre teve a hegemonia), sendo 42,87% nessa gestão.
      2. Recuperou a hegemonia do baiano. Dos 6 ganhos de 2003 até 2020, sendo em 2012, 2014, 2015,e o tricampeonato da atual gestão : 2018, 2019 e 2020.
      3. No ranking da CBF o clube ocupava a 21a posição em 2017, estando em 2020 na 10a posição. Portanto, avanço na atual gestão.
      4. Igualou a última melhor campanha na C.do Brasil, que havia sido em 99, portanto há 21 anos.
      5. Melhor campanha na sulamericana. Um dos 2 a passar de fase esse ano. Ficaram no caminho o Atlético MG, Fluminense, Fortaleza e Goiás.
      6. Melhores campanhas no brasileiro de pontos corridos.
      Gostaria de saber que time do Bahia você tem como referência em brasileiros, aliás 2: um de qualquer época e outro do atual formato de pontos corridos.
      Certamente vai citar o de 88, poderia citar o de 59 ou 90 (Ainda tinha um resquício de 88), a partir daí entrou na era de trevas da história do clube. O clube vem procurando crescer a partir de 2013 para que os anos citados acima (59, 88, 90) não sejam pontos fora da curva mas uma constante. Ou seja crescer com sustentabilidade para que seja uma ida sem volta.
      Sds. Tricolores.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*