Mano Menezes mostrou duas qualidades à frente do time do Bahia

Mano recuperou alguns atletas e vem rodando o elenco do Bahia

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Todos ficaram felizes com o triunfo do Bahia contra o Vasco por 3 a 0 e, notoriamente, com a vontade demonstrada em campo pelos atletas. É importante frisar que é o inicio de um trabalho, Mano Menezes ainda não tem nem 10 jogos à frente do Bahia e mostrou duas qualidades importantes: Recuperação de atletas e uso de todos os que compõem o banco de reservas. Vale ressaltar o incômodo que o técnico tem com a defesa e com não tomar gols, isso é uma marca registrada do mesmo, e o triunfo veio ontem com uma efetividade no ataque, mas a ênfase em seus comentários foi que: O TIME NÃO SOFREU GOL. Tanto é verdade que se o time não sofresse gols nas quatro partidas que perdeu e somasse esses quatro pontos, o Bahia estaria com 19 pontos e não com 15.

 

Recordo que escrevi sobre atletas inúteis, e realmente fui incisivo e não é por um jogo que minha opinião mudou por completo, mas a utilidade a que me refiro se enreda com a disposição, com a vontade de triunfar, de querer galgar maiores voos, coisa que Mano sempre buscou e percebo que está tentando implantar na cabeça dos atletas, ou seja, quando se mostra que é possível conseguir além.

O Campeonato Brasileiro 2020 está nivelado entre 16 equipes com nível técnico muito parecido, apenas 4 estão um pouco acima e a diferença fica menor quando os estádios se encontram vazios. O Bahia tem elenco para ficar na primeira parte da tabela, sem dúvida, o que resta saber é se o compromisso que estes jogadores já demonstram não ter em outros tempos, espezinhando o nome do Bahia na cara dura, ou se continuará a jogar com garra e vontade como foi na partida contra o Vasco.

Os jogadores de confiança de Mano estão chegando, falarei inicialmente de Elias, que está colocando em ordem o meio campo do Bahia, tem a liderança que há muito não via em campo, tá fazendo Gregore correr certo onde se sente confortável, tem o respeito da arbitragem e em breve vai pisar na área e marcar seus golzinhos. No momento joga “educativamente” dando posicionamento aos mais jovens e fazendo um papel fundamental que Flávio fazia, mas se valendo mais da experiência que da força física em si.  E outro ponto é que para mim, Mano viu que Rodriguinho está abaixo fisicamente e o mandou aprimorar a parte física para render como se deve (esse a minha teoria da conspiração), pois é um jogador de excelência.

A recuperação de Clayson, o possível conserto das falhas da lateral e da bola aérea nesse jogo funcionaram, resta o time se conscientizar que fora e dentro de casa tem que que se manter a postura. Daniel dá fluidez ao time e junto com Elias na saída bola da defesa para o ataque e isso ficou muito mais limpo, querendo ou não Lucas Fonseca sabe sair o jogo, mesmo não sendo uma sumidade defensiva, isso ele faz melhor que os demais nesse quesito e melhora transição entre as linhas do adversário.

Enfim, é hora de engrenar e seguir triunfando, pois o primeiro turno já está acabando. Mano não veio para o Bahia à toa, tinha clubes pagando mais, seleções o querendo, enfim ele escolheu o projeto BAHIA e vai colocar seu DNA de vencedor aqui no clube, que embora muitos critiquem a diretoria na parte do futebol, coisa que também FIZ E FAÇO, essa mesma diretoria deu a segurança financeira e administrativa para que um técnico desse quilate pousasse por estas bandas, e isso tem que ser reconhecido.

Temos que criticar o futebol em campo e cobrar, mas criticar marketing e administração para justificar o mau desempenho do time não é inteligente. A emoção sempre permeou o coração do torcedor apaixonado, que hoje tem o poder nas mãos de colocar e tirar o presidente do seu clube de coração, o que temos que fazer é cobrar melhorias no futebol sem desmerecer outros pontos positivos que fizeram melhor a imagem do Bahia a nível mundo.

Importante é que a parte do futebol parece querer voltar a um bom nível e espero que resultados sejam consequência, pois o primeiro turno do Bahia ainda está muito abaixo do que esperamos e o jogo do Vasco foi um respiro, mas o verdadeiro divisor de águas nessa história será a partida seguinte, que vai mostrar se essa atuação consistente e efetiva vai se manter ou se os erros voltarão a acontecer.

Diego Campos, torcedor do Bahia e colaborador do Futebol Bahiano.

 

Deixe seu comentário

2 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*