Vitória poderá receber R$ 46 milhões com venda de Joia do Grêmio

Diego Rosa, de 17 anos, foi vendido ao Grupo City

Nesta segunda-feira (24), o meio-campista Diego Rosa, de 17 anos, assinou o pré-contrato com o Grupo City, acionista do Manchester City, até julho de 2025. A joia do Grêmio, revelado nas divisões de base do Esporte Clube Vitória, já estava praticamente vendido desde julho, mas algumas cláusulas atrasaram o negócio, inclusive houve ajustes para que o valor total chegasse a 23,5 milhões de euros (R$ 153,66 milhões na cotação atual). De acordo com informação do site GE, o Grêmio receberá 70% (R$ 107,57 milhões) – percentual adquirido recentemente – e os outros 30% (R$ 46,10 milhões) serão do Vitória. O Tricolor mantém 15% dos direitos do jogador projetando uma futura venda.

 

Ainda segundo o portal, o City pagará 6 milhões de euros (cerca de R$ 30 milhões) pelo negócio de forma parcelada. Serão 3 milhões de euros na assinatura do contrato, mais 2 milhões de euros em janeiro de 2021 e 1 milhão de euros em janeiro de 2022; O valor pode chegar até 23,5 milhões de euros (cerca de R$ 144 milhões), de acordo com algumas metas a serem atingidas pelo jogador;

Se Diego for inscrito na Premier League, por exemplo, o bônus será de 4 milhões de euros; Três parcelas de 4,5 milhões de euros a cada 10 jogos de Diego no seu primeiro time. Ou seja, se entrar em campo 30 vezes, rende 13,5 milhões de euros.

Antes do City, Diego será emprestado a um clube europeu. Provavelmente o Girona, da Espanha, ou um time francês da segunda divisão. Desde novembro, o clube e o estafe do atleta se reúnem para bater o martelo. O objetivo é que em até duas temporadas ele esteja apto para atuar no profissional do time de Manchester.

Revelado nas divisões de base do Esporte Clube Vitória, o baiano Diego Rosa, de apenas 17 anos, foi negociado com o Grêmio em junho de 2017, na gestão de Petkovic. O clube baiano trocou o volante promissor que se destacava no time sub-15 pelo zagueiro Wallace Reis, na época reserva no tricolor gaúcho (relembre aqui). Além de ter cedido o jovem atleta (com 50% dos direitos econômicos) ao Grêmio, a diretoria rubro-negra da época fixou 20% dos direitos econômicos em R$ 500 mil, valor que foi desembolsado pelo clube gaúcho para aumentar o passe do atleta e ter um lucro maior na negociação com o Manchester City, da Inglaterra.

Deixe seu comentário

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*