Caso Léo Ceará: “Vitória não pode pagar salário de Série A”, dispara Paulo Carneiro

"não consegui avançar para convencer o atleta", disse o mandatário

Tudo mundo sabe que o Esporte Clube Vitória atravessa um momento complicado financeiramente, o que se agravou com a crise do coronavírus que paralisou o futebol completamente e diminuiu as receitas dos clubes. Por conta disso, o clube decidiu demitir o técnico Geninho e efetivar o auxiliar Bruno Pivetti como treinador do time principal. Nesta quarta-feira, o clube emitiu uma nota dando a sua versão sobre a renovação do atacante Léo Ceará e afirmou que o atleta não aceita ficar sem receber as luvas para prorrogar o vínculo. Através de áudio divulgado no WhatsApp, o presidente Paulo Carneiro voltou a falar sobre o assunto e citou a questão financeira, afirmando que o “Vitória não pode pagar salário de Série A”. Segundo o mandatário, tentou de tudo para convencer o jogador a renovar, mas não avançou nas tratativas.

 

“Eu me lembro que Léo Ceará, quando eu resolvi mantê-lo no elenco, após retornar de empréstimo do CRB, era unanimidade que o Vitória não deveria manter Léo Ceará. Acho tudo isso muito engraçado. A torcida era contra Léo no Vitória, pois nunca reconheceram o valor do menino. Agora que nós estamos tendo esse problema de renovação, que na minha opinião o Vitória está agindo absolutamente certo, aparecem questionamentos. Eu posso dizer que não tem a concordância dos empresários e não podem dizer que estou mentindo. Eles que não têm autoridade sobre o atleta para convencer o absurdo que ele está fazendo. Aí é problema dos empresários e eu não tenho nada com isso, tenho que defender o Vitória. Tentei tudo. Trouxe todos eles na minha residência para ter uma conversa mais amena e tranquila, mas não consegui avançar para convencer o atleta que o Vitória é clube de Série B e não pode pagar salário de Série A”, disse o dirigente.

Em nota, Vitória esclarece afastamento de Léo Ceará e dá sua versão

 

 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*