Esporte Clube Bahia perde em dois dias dois torcedores ilustres

"Que tristeza a notícia do falecimento de Jorge Maia!"escreveu

Considerado como uma dos cabeças de chaves do processo de redemocratização do Esporte Clube Bahia, o tricolor Jorge Maia faleceu na tarde de hoje (19), vítima de um linfoma, em um dos hospitais de Salvador. Ex-vice presidente do Conselho Deliberativo do clube, Maia foi o responsável pela ação que resultou na saída do presidente Marcelinho Guimarães Filho. Através das redes sociais, diversos tricolores lamentam a perda e em especial o ex-vice-presidente e ex-diretor executivo do Esquadrão de Aço, Pedro Henriques, que se manifestou.

 

“Que tristeza a notícia do falecimento de Jorge Maia! Tricolor histórico e Sócio Grande Benemérito do Bahia, foi o autor da ação que resultou na intervenção judicial que viabilizou todo o processo de democratização e profissionalização do Clube! Que descanse em paz!”, escreveu Pedro Henriques.

Outro tricolor se foi!

O Esporte Clube Bahia através de nota publicada do seu site oficial manifestou solidariedade aos familiares e amigos de João Carlos Teixeira Gomes, o Joca, que faleceu no final da noite desta quinta-feira (18), aos 84 anos, em Salvador. Veja a nota abaixo:

Também apelidado de “Pena de Aço”, o jornalista, escritor e poeta era filho do primeiro goleiro da história tricolor, Teixeira Gomes, do time de 1931. Sempre gostava de contar a história que seus pais se conheceram em um jogo do Esquadrão. Além disso, marcou presença no filme Bahêa Minha Vida, de 2011.

Joca ainda participou da luta pela democracia no clube e, como última vontade, pediu para ser enterrado com uma bandeira azul, vermelha e branca. O sepultamento acontecerá no final da manhã desta sexta (19) no Cemitério Bosque da Paz – e já providenciamos a homenagem.
Internado durante uma semana no Hospital da Bahia, teve falência múltipla de órgaos.

Um dos fundadores do antigo Jornal da Bahia, era membro da Academia Baiana de Letras, onde ocupava a cadeira de número 15, e fez parte do grupo conhecido como Geração Mapa, ao lado do cineasta Glauber Rocha, do pintor Calasans Neto e do também professor e jornalista Florisvaldo Matos, entre outros.

Foi autor de obras como “Gregório de Mattos, o Boca de Brasa” e do polêmico “Memórias das Trevas – Uma devassa na vida de Antônio Carlos Magalhães”, sobre o ex-governador do Estado.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*