Chegada de Rodriguinho está dentro das possibilidades do Bahia

Vice-presidente do Bahia garantiu que não vai prejudicar finanças

Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

O Esporte Clube Bahia anunciou nesta segunda-feira a contratação do meia Rodriguinho, que chegou ao clube para vestir a camisa 10, uma carência bastante contestada pelo torcedor. O contrato do jogador é válido até o final de 2021 e para acertar ele teve que reduzir o salário que recebia no Cruzeiro (algo próximo de R$ 650 mil por mês). O Esquadrão adquiriu 40% dos direitos econômicos, sendo que a Raposa ficou com 20% e o restante com o atleta. Apesar de não ter revelado os valores, o vice-presidente do clube, Vitor Ferraz garantiu que a contratação está dentro das possibilidades do Bahia e que a organização financeira vai permitir arcar com os custos.

 

“Em relação a onerar as finanças, a gente toma as decisões com base nas possibilidades do clube. A gente tem um cuidado grande para não causar impacto além da capacidade do clube. Em momentos pontuais, podemos ter um ou outro momento de maior dificuldade, que requer maior atenção. Mas faz parte da gestão, e convivemos há algum tempo com isso. Tudo dento do planejamento, e a chegada dele não é diferente, nossa organização financeira vai nos permitir arcar com os custos. O atleta, antes de firmar contrato, encerrou com o Cruzeiro. Neste contexto, se convencionou que o Cruzeiro continuaria com uma parte dos direitos, até para que viabilizasse a rescisão e ele pudesse vir livre. Nessa composição, o atleta fica com um percentual, o Cruzeiro com uma parte e o Bahia com 40% dos direitos”, disse.

Para contratar o meia de 31 anos, o Bahia superou a concorrência de clubes do futebol brasileiro e do exterior. Prevaleceu a vontade de Rodriguinho de permanecer no Brasil, por causa do nascimento de seu filho. Rodriguinho atuou apenas 20 jogos em 2019 com a camisa do Cruzeiro, marcando 8 gols, porém, passou um período se recuperando de lesão. Esse ano, recebeu a camisa 10 e jogou os dois primeiros jogos pelo Campeonato Mineiro, mas após decidir não permanecer na Toca da Raposa, foi liberado dos treinos até chegar a um acordo para rescisão.

Natural de Natal, Rodrigo Eduardo Costa Marinho tem 31 anos e surgiu nas divisões de base do ABC, onde se profissionalizou. Acumula passagens ainda por Bragantino, América-MG, Grêmio, Al Sharjah dos Emirados Árabes Unidos, Pyramids FC do Egito, mas foi no Corinthians onde teve seu melhor momento na carreira. Após primeira passagem apagada pelo Timão em 2013, retornou em 2015 sendo peça importante na conquista dos títulos do Campeonato Brasileiro de 2015 e 2017. Ficou no Parque São Jorge até 2018, quando foi negociado com o clube do Egito, mas voltou ao futebol brasileiro em 2019 contratado pelo Cruzeiro.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*