Roger valoriza empate e analisa atuação dos reforços do Bahia

"Gostei bastante do que a gente fez em boa parte do jogo"

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia / Divulgação

O Esporte Clube Bahia estreou na Copa do Nordeste neste sábado empatando com o Santa Cruz, por 0 a 0, no Estádio do Arruda. Dos seis jogadores contratados para a temporada 2020, cinco estrearem. Na partida, Juninho Capixaba, Clayson e Daniel foram titulares. Jadson e Rossi entraram em campo na etapa final. Em entrevista coletiva, o técnico Roger Machado fez uma análise da atuação dos reforços do Bahia. Sobre a atuação da equipe, o treinador disse ter gostado bastante do que viu em boa parte do jogo. O próximo adversário tricolor no Nordestão é o Imperatriz do Maranhão, terça-feira, no Estádio Metropolitano de Pituaçu.

 

“O Juninho fez um jogo sólido defensivamente e sua virtude, que é atacar, ele usou naturalmente. Essa evolução é importante. Muita solidez defensiva. Danielzinho, dentro de sua característica, com posse, jogo apoiado, dando cadência ao jogo. Fez construção fora do bloco e dentro da linha. Teve uma oportunidade de finalizar dentro da área. Atuou muito bem. Clayson, enquanto teve fôlego, atuou muito bem. Flutuou em alguns momentos nas costas da primeira linha adversária, para dar amplitude, ter a virtude da vitória no duelo individual. Foram estreias boas. Rossi entrou no segundo tempo e Jadson também, para restabelecer o equilíbrio defensivo. Todos foram bem, cada um com sua característica.”

“Gostei bastante do que a gente fez em boa parte do jogo. Acho que 70%, entre o primeiro tempo e o segundo, conseguimos propor bem o jogo. Ficamos com a bola. É a dificuldade que a gente imaginava enfrentar diante de uma equipe que está no terceiro jogo da temporada, treinando há mais tempo, com capacidade do Itamar a frente do corpo técnico. Time móvel, com bastante movimentação. Didira, Pipico, os beiradas saindo muito de posição. A gente precisava estar bem posicionado para neutralizar. Conseguimos neutralizar bem, envolvemos o Santa Cruz no primeiro tempo, criamos inúmeras oportunidades, mas paramos na defesa, hora nas boas intervenções do goleiro adversário. No segundo tempo iniciamos bem, mas a partir dos 20, 25 minutos, o adversário, naturalmente, com um pouco mais de fôlego, teve superioridade no meio-campo, o que nos empurrou para dentro. Eles criaram mais oportunidades com bola parada e chute de média distância.”

Aos 42 minutos do segundo tempo, a zaga cochilou e Douglas teve que sair da área para evitar o gol de Patrick Nonato. O árbitro enxergou falta do arqueiro e aplicou o vermelho direto. Como Roger já havia feito as três substituições, sobrou para o centroavante Fernandão assumir a condição de goleiro por alguns minutos e trabalhou impedindo o gol do time pernambucano. Após a partida, Douglas falou sobre o lance, discordou da expulsão e criticou o critério utilizado pelo juiz. Roger Machado também elogiou o ‘goleiro’ Fernandão.

“Muito grande [a importância do jogador]. Ele sempre joga de goleiro nos dois toques. O treino de dois toques serve para várias coisas. Tem a questão da gestão, quando estou junto com eles, uma proximidade maior. Uma descontração de véspera de jogo e, em alguns momentos, serve para isso. Não tive dúvida naquele momento quem seria o goleiro. Fernandão está bem treinado para aquela posição. Foi importante, defesa difícil, vi ele fazer muitas vezes nos dois toques. A importância dele é muito grande. Claro que quero ele fazendo gols, ao lado de Gilberto ou substituindo Gilberto. Disputa sadia. Quem ganha é o time do Bahia. Eles se respeitam muito e competem pela vaga em uma disputa saudável.”

Deixe seu comentário

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*