Meia, volante e atacante retornam ao Bahia na temporada 2020

Régis, Yuri e Edigar Junio estão emprestados a outros clubes

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Enquanto alguns jogadores têm contrato até o próximo dia 31 de dezembro com o Esporte Clube Bahia e devem deixar o clube, outros três estão retornando de empréstimo e podem ser aproveitados em 2020 ou novamente negociados. Caso do meia Régis, do volante Yuri e do atacante Edigar Junio. Com 11 gols em 16 jogos pelo Yokohama Marinos, Edigar foi emprestado com valor de passe fixado, no entanto, a diretoria tricolor ainda aguarda por um posicionamento do clube japonês e provavelmente, se não houver o interesse da permanência, o atleta retorna do futebol asiático e reforça o Tricolor Baiano na próxima temporada. O jogador vinha se destacando até sofrer a lesão e vem se recuperando de uma fratura na fíbula esquerda.

 

Régis, por sua vez, atuou apenas sete partidas pelo Corinthians esse ano. Antes, esteve emprestado ao Al-Wehda, da Arábia Saudita, também por indicação do técnico Fábio Carille, mas não chegou nem a estrear. Pelo Tricolor Baiano, atuou de 2016 até 2018, com 118 jogos e 23 gols marcados. Yuri, diria que foi um injustiçado no Bahia. Chegou em 2014 para integrar o time Sub-20, foi promovido em 2015, teve boas atuações, mas foi perseguido pelas lesões. Em 2018, teve uma temporada excelente pelo CSA na campanha de acesso e voltou ao Bahia para ser aproveitado. Novamente se lesionou, mas quando voltou não teve chances, foi até colocado no time de transição onde atuou seis jogos, mas acabou emprestado ao Tochigi do Japão.

Régis:
Emprestado ao Corinthians até 31/12/2019
Contrato com o Bahia até 31/12/2020

Edigar Junio
Emprestado ao Yokohama-JAP até 31/12/2019
Contrato com o Bahia – 31/12/2020

Yuri
Emprestado ao Tochigi-JAP até 31/12/2019
Contrato com o Bahia – 31/12/2020

Edigar Junio chegou ao Bahia em 2016 e ajudou a reconduzir o Esquadrão de volta à Série A, marcando 16 gols em 47 jogos naquela temporada. Em 2017, jogou 40 partidas e marcou 15 tentos, um deles na final da Copa do Nordeste no triunfo por 1 x 0 sobre o Sport-PE que decretou o tricampeonato do nordeste, e 12 na Série A, em que foi artilheiro do time. Em 2018, balançou as redes 13 vezes em 54 jogos, sendo campeão baiano. No total, chegou a marca de 44 gols em 141 pelo clube nas três temporadas, ficando perto de superar o atacante Zé Carlos, bicampeão brasileiro em 1988 e com 50 gols na conta, além do centroavante Robgol, com 53 gols e Marito, ex-ponta e herói do título de 1959, com 60 gols.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*