Roger comenta atuação de Guerra e diz que faltou eficiência ao Bahia

"Brasileiro é muito duro. Não posso reclamar do tipo de jogo", disse

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Apesar da derrota par ao Athletico-PR, por 2 a 1, neste sábado, na Arena Fonte Nova, o técnico Roger Machado ficou satisfeito com a atuação do time do Esporte Clube Bahia que criou muitas oportunidades, mas segundo o treinador, “faltou eficiência” e também um pouco de sorte para fazer os gols e buscar o triunfo. Com o revés, o Esquadrão deixou o G-6, perdendo o sexto lugar para o São Paulo que chegou aos 39 pontos ao vencer o Fortaleza por 2 a 1 no Pacaembu. O Esquadrão, por sua vez, caiu para o sétimo lugar com 37 pontos. Na próxima rodada, baianos e paulistas se enfrentam na Fonte Nova.

 

“Hoje foram muito mais coisas positiva do que negativas, embora tenhamos sido derrotados. Nos comportamos bem. O que nos faltou foi eficiência. O detalhe da eficiência estava dois centímetros para dentro da trave. Hoje caprichosamente a bola não entrou. Hoje a gente teve convênio com a trave. Nós fizemos um grande jogo, lamento as oportunidades que criamos, e ela não entrou. Fizemos um jogo extremamente competitivo. Números do jogo mostraram que foi uma partida intensa dos dois lados. Evolução é jogo a jogo. Foi o dia do não porque a bola não entrou, mas fico muito satisfeito com a atuação que a gente teve.”, disse Roger.

Roger também comentou a atuação do meia Alejandro Guerra e saiu em defesa do venezuelano: “Não vi o Guerra atrapalhar. Vi em muito momentos ajudar a construir. Guerra participou ativamente desse jogo. Athletico-PR fecha muito o setor central e impede que o jogador criativo jogue. No segundo tempo precisei ajustar um posicionamento ou outro. À medida que não conseguiu, fiz a troca. Estava com o Lucca para entrar e foi a bola parada que acabou abrindo o placar para o Athletico-PR. Não vi o Guerra atrapalhar em nenhum momento”, explicou.

Treinador já pensa no duelo contra o São Paulo… “Derrota tira a gente do G-6, mas quarta-feira tem mais. Brasileiro é muito duro. Não posso reclamar do tipo de jogo, da qualidade de jogo que a gente apresentou hoje. O que a gente tem a partir desse momento, essa partida do Athletico-PR era de recuperação de pontos. Fomos derrotados no primeiro turno. A partir de agora o tamanho do alcance vai ser a medida dos confrontos que a gente vai ter. Contra o São Paulo empatamos no primeiro turno e temos a possibilidade de fazer quatro pontos contra essa equipe. Perder em casa, a gente nunca gosta. O que a gente vê do torcedor é satisfeito com o que demostrou dentro do campo. Trabalhar o emocional dos jogadores salientando que fizemos um grande jogo sim. Consertar o que errou e já pensar no compromisso. Não temos muito tempo para lamentar”

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*