Douglas se diz triste com torcedores que ‘festejaram’ lesão de Moisés

Goleiro do Bahia também falou sobre os objetivos do time

Alvo da entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira na sala de imprensa do Fazendão, dia da reapresentação do elenco do Esporte Clube Bahia, o goleiro Douglas saiu em defesa do lateral-esquerdo Moisés, um dos ou quem sabe o atleta mais contestado pelo torcedor tricolor. O arqueiro lamentou a lesão do lateral no jogo contra o São Paulo e disse ter ficado bastante triste quando percebeu que alguns torcedores no estádio se alegraram com a saída do atleta que sentiu dores e foi substituído pro Giovanni no final do primeiro tempo. Douglas deu como exemplo a situação de Nino Paraíba, bastante criticado num passado recente e hoje idolatrado pelos tricolores ganhando até música.

 

“Não quis entender, em alguns momentos, que algumas pessoas tiveram a capacidade de se alegrar com a lesão de um atleta. Vivendo no Bahia, fico triste, porque é um pouco contraditória. A gente sabe a sociedade que a gente vive, a dificuldade que é para um torcedor pagar para ir no estádio, deixar sua família. Em vez de se alegrar em apoiar a equipe, ele se alegra em comemorar a lesão de um atleta que vai trazer benefício para o grupo. É contraditório. Eu fico bem triste.  parte da torcida que pega no pé de um jogador ou outro, vejo como maior exemplo de que a torcida tem o poder, a força em prol do desempenho individual do atleta, o exemplo do Nino. A torcida queria a cabeça do Nino, que até poderia der, porque ele é meio avantajado. Nino, a gente sabe a pessoa e o profissional que ele é”, disse.

Com o empate com o São Paulo por 0 a 0 na quarta-feira diante de 32 mil torcedores na Arena Fonte Nova, o Esporte Clube Bahia não só perdeu a chance de assumir o 5º lugar, como caiu uma posição na tabela e agora é o oitavo colocado com 38 pontos, mesma pontuação de Internacional e Grêmio. Douglas falou sobre os objetivos do Bahia no Campeonato Brasileiro destacando fala de Roger Machado no vestiário: primeiro se manter na Série A, depois buscar uma vaga na Sul-Americana e por fim tentar uma vaga na Libertadores.

“Entramos com objetivos claros no campeonato. Ontem no vestiário, Roger colocou nossos objetivos, que primeiramente é permanecer na Série A, e estamos próximos. O próximo é confirmar uma vaga na Sul-Americana. E continuar mantendo o nível de atuação, que é o caminho que nos trouxe até aqui, e vai nos dar a possibilidade de, nas últimas rodadas, confirmar uma posição melhor em uma competição difícil em todos os momentos. Estamos indo para fase final, quem está embaixo, está desesperado, quem está em cima também, mas naquela coisa boa. Temos um grupo maduro, convicto, que nos trouxe aqui e vai nos dar a condição de brigar pelo que almejamos”, completou.

O arqueiro também falou sobre o bom momento defensivo da equipe. “Com essa marca, nos traz uma alegria, mas aconteceu de uma forma natural, então, se eu fosse focar nas marcas, fugiria ao natural. Não é um momento só do Douglas. É de todo o grupo. Ontem, o Lucas tirou uma bola na minha frente, quase em cima da linha. O grupo tem se mostrado muito comprometido no fator defensivo, e isso tem nos dado a condição de sofrer poucos gols, e estamos mais próximos de triunfar. Isso é um fator determinante. As equipes de bom desempenho sofrem poucos gols, têm o sistema defensivo bom. Mantendo esse nível, a gente pode conseguir coisas grandes”, comentou.

Deixe seu comentário

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*