Fábio Carille defende o VAR após vitória do Corinthians contra o Bahia

"acredito que é para o bem do futebol, é mais justo"

Após o triunfo por 2 a 1 do Corinthians sobre o Bahia, neste sábado, em Itaquera, o técnico Fabio Carille saiu em defesa do árbitro de vídeo (VAR), que tem sido alvo de muitas críticas no Campeonato Brasileiro, e no jogo desta noite não foi diferente, principalmente com a não marcação de um pênalti a favor do time baiano ainda no primeiro tempo quando a partida estava 0 x 0. O treinador corintiano disse não ter visto os lances e acredita que a tecnologia veio para o bem do futebol e deixa tudo mais justo.

 

“Tive experiência na Arábia e foi muito legal. Lá não ia na televisão, confiava. Eram todos árbitros da Europa, um brasileiro apitou lá. Escutava e não ia para ver, uma vez ou outra ia, quando tinha dúvida mesmo. Está sendo experiência, muitas coisas têm melhorado. Algumas coisas nunca vai ser 100% em lugar nenhum, mas com certeza é mais justo. Não vi os lances ainda. Mas acredito que é para o bem do futebol, é mais justo. Cada ano que foi passando os erros vão ser menores.”

Ele também falou sobre os protestos de torcedores de uma organizada do Timão na porta do CT alvinegro, ocorrido na manhã da última sexta-feira, na véspera do jogo.

“Foi legal pra caramba, cara. Os amigos ligaram todos preocupados e tal. Foram lá e me chamaram de retranqueiro só. Está bom. Estou com moral com eles. Já vi vários protestos serem bem piores. Aconteceu numa sexta-feira pela manhã, não atrapalhou nada nosso trabalho. Fiquei sabendo pela nossa assessoria, nosso treino estava planejado. Trabalhamos tranquilamente lá dentro. Foi engraçado. Quando mexi no celular, amigos e outros técnicos preocupados, e acabei brincando. Só me chamaram de retranqueiro? Está bom, faz parte. Não xingaram e não fizeram nada. A gente sabe onde está, que é cobrado. Estamos na caminhada, vamos dormir em quarto, podendo virar em quatro. Nosso objetivo é estar na parte de cima e encostar cada vez mais nos primeiros no Brasileiro”

VEJA A ENTREVISTA COMPLETA

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*