Brasil ou Europa? Diretoria do Bahia vive dilema com venda de Ramires

"Difícil decisão para uma diretoria que tem feito boas vendas"

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Principal revelação do Esporte Clube Bahia na atualidade, o meia Eric Ramires mais uma vez chama atenção no cenário nacional e internacional. No futebol brasileiro, a bola da vez é o Flamengo, que tem grande interesse na contratação do jogador, notícia que surgiu dias após o jovem ter sido observado pelo Arsenal. O dilema da diretoria é que dificilmente um time internacional pagará o que se pede pelo jogador, que ainda nem completou um ano de profissional. Já uma eventual venda para o Flamengo pode render ganhos futuros ainda maiores para o Esquadrão, segurando uma parte dos direitos econômicos e lucrando com uma futura venda ao mercado europeu.

Infelizmente, é comum que os times do Nordeste não consigam vender seus jogadores para os maiores times da Europa, no máximo os de Portugal. Eric Ramires tem tudo para ser a maior venda de um time nordestino na história. E, por saber disso, o tricolor está batendo o pé na venda, mesmo sabendo que dificilmente negociará por € 10 milhões (R$43 milhões).

As cinco maiores vendas do futebol nordestino foram feitas pela dupla BA-VI. A maior delas, o meia Zé Rafael, vendido pelo Bahia ao Palmeiras no final do ano passado, por exatos R$ 14,5 milhões, sendo este valor o embolsado pelo Esquadrão. O clube paulista ainda desembolsou mais R$ 3 milhões para ficar com outra parte dos direitos que pertencia ao Coritiba.

 

Das cinco maiores vendas, três foram do Bahia. Além de Zé Rafael, já citado acima, tivemos o volante Bruno Paulista, vendido ao Sporting-POR por R$ 12.677.870 e o goleiro Jean, repassado ao São Paulo por R$ 12.072.000. Dois jogadores do Vitória também aparecem no G-5 de vendas do futebol nordestino – Lucas Ribeiro (Hoffenheim-ALE – R$ 12,9 milhões) e Gabriel Paulista (Villarreal-ESP – R$ 10 milhões), este último empatado com Diego Souza, vendido pelo Sport-PE ao São Paulo. Os dados foram apurados pelo jornalista Cassio Zirpoli.

Se vender para o Flamengo com um preço menor e manter um valor percentual do jogador, o Bahia tem grandes chances de receber um valor maior que esse futuramente, mas verá sua principal joia atuar em outro time brasileiro, inclusive contra o Esquadrão. É um dilema. Difícil decisão para uma diretoria que tem feito boas vendas no mercado, mas nenhuma com tamanho potencial.

Henrique Ferreira, amigo e colaborador do Futebol Bahiano.

Deixe seu comentário

8 Comentário

  1. If you’re still on the fence: grab your favorite earphones, head down to a Best Buy and ask to plug them into a Zune then an iPod and see which one sounds better to you, and which interface makes you smile more. Then you’ll know which is right for you.

  2. Se vender para o Flamengo ou qualquer outro time brasileiro perderá em arrecadação e haverá desassociação em massa, sem contar que a diretoria cairá em desgraça com o torcedor do Bahia.

    Ao contrário, se aguardar o Ramires jogar mais uma temporada, permitirá que este excelente jogador se valorize ainda mais e ainda encha o torcedor do Bahia de alegria.

    O Bahia não precisa deste dinheiro; por que ficar pensando pequeno? ACORDEM!

  3. Se vender para o Flamengo ou qualquer outro time brasileiro perderá em arrecadação e haverá desassociação em massa, sem contar que a diretoria cairá em desgraça com o torcedor do Bahia.

    Ao contrário, se aguardar o Ramires jogar mais uma temporada e valorizar ainda mais, permitirá que este excelente jogador se valorize ainda mais e ainda encha o torcedor do Bahia de alegria.

    O Bahia não precisa deste dinheiro; por que ficar pensando pequeno? ACORDEM!

  4. Henrique Ferreira, você deve ser Vêtoriano Galinha Fujona. Que papo chato da zorra, que se dane se ninguém quiser dar nem um real em Ramires. Preste atenção no jogador. Não tem no Bahia ninguém com o arremate, qualidade de passe e domínio da bola como ele. Ramires é aquele jogador que precisa de alguém pra fazer a armação com ele na bola do meio campo, quem fazia isso era Zé Rafael. Hoje o cara é marcado individualmente e nunca recebe uma bola em condições de criar, os volantes não tem a sua velocidade e criatividade para ajudar. O cara está exausto, está visível isso, não teve férias e além de tudo deve ter ouvido dos colegas na sulamericana que se ele se esforçar demais e se lesionar a carreira dele acaba. Pare de encher o saco com esse papo. Clube cresce é com títulos e não com venda de jogador a preço de banana, se o Bahia ganhar a copa do Brasil vai receber mais do que com a venda de Ramires. Dá raiva esse complexo de inferioridade dos torcedores. Não jogue a culpa no garoto por que nem messi consegue jogar em um time com laterais que não marcam e não atacam, com zagueiros que não sabem dar passe e furam o tempo todo. Volantes que não combatem e não passam a bola no pé. Deixa o menino jogar.

  5. O cara fica faltando q o Bahia n acha o valor q pede, se vender pelo preço que aparece na primeira investida é claro que não vende caro mesmo n, esse Henrique deve ser um gênio mesmo! Se tem vários times da Europa de olho então o Bahia n precisa ceder a pressão e dar de graça pra esses times do sul q querem se aproveitar q tá vendo q ele tem mercado sim na Europa e acha quem vai pagar mais q o Bahia pede, e esses imbecis ainda querem q o Bahia de de graça, depois fica reclamando que só vende barato, vai entender!se n ceder os caras vão ver q se n quiser pagar n levará e virá outro q aceita pagar o valor e levar e assim vai aumentar a proposta, agora com o pensamento do Henrique só vai vender a preço de banana.

  6. O Bahia deve vender pra Europa. Sobretudo, porque, nenhum clube brasileiro que negnegociou suas promessas com times brasileiros. Tirando lado de torcedor pergunto: num mundo capitalista como o nosso sera que vale a pena fazer escada pra os outros subirem? O Corinthians cedeu Henrique porque o achava bom? Ainda ficou devendo ao Bahia mesmi depou de ter vendido Juninho Capixaba ao Gremio. Royalties, projecao na carreira e grana alem de lucro por transferencia internacional. Podemos ter laterais melhores que Rondinei e que queiram jogar no Bahia. Europa sim para Ramires. Flamengo nao

    • O problema e que o Bahia não tem propostas do exterior, dificilmente um clube do exterior vai pagar caro em Ramires atuando no Bahia! Infelizmente é a realidade de um clube nordestino! Internacionalmente o Bahia é desconhecido, não disputa a libertadores, está começando a jogar a Sulamericana, chegou bem ano passado, mas ainda é pouco!

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*