De aspirante à titular do Bahia: A ascensão meteórica do meia Ramires

Ao todo foram 17 jogos, todos como titular em 2018

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

O que levaria um menino de 18 anos, sem nenhum gol marcado na equipe de Aspirantes, a surgir na equipe profissional, estrear como titular e de lá não sair mais? O talento, claro. Foi o que aconteceu com Ramires, ou melhor dizendo, Eric (como ele próprio prefere ser chamado).

A joia formada nas divisões de base do Bahia viu sua carreira ganhar novos rumos no dia 5 de setembro de 2018. Com o Baia já eliminado no Brasileirão sub-23, Eric Ramires foi “puxado” pelo treinador Enderson Moreira para o elenco profissional e surpreendeu a todos ao estrear como titular. Naquela partida contra o Sport, meteu bola na trave, deu uma canseira à defesa adversária e foi aplaudido de pé na Fonte Nova.

Ao todo foram 17 jogos, todos como titular. Atuações marcantes como na partida contra o Botafogo, na Copa Sul-Americana, quando marcou o 1º gol do tricolor baiano. Ou então no clássico Ba-Vi disputado no Barradão, quando fez um gol e deu uma assistência, sendo o melhor jogador em campo.

Veloz, consciente e inteligente. Eric Ramires é, claro, ainda um talento a ser lapidado, mas já demonstra uma postura de jogador experiente. Seu futebol chamou atenção do Corinthians, que teve interesse em sua contratação. O futebol europeu também já observou o jogador (Borussia Dortmund chegou a fazer proposta, recusada pelo Bahia).

Coroando o bom, e surpreendente, ano de Eric Ramires, veio a convocação para defender a Seleção Brasileira no Sul-Americano sub-20, que será em janeiro de 2019. A primeira oportunidade de defender a camisa do Brasil. Boa sorte a Eric, o Ramires, e que seu futebol cresça cada vez mais.

Heider Mota, baiano, 21 anos, estudante de jornalismo e amante dos esportes, ao HTE Sports.



VEJA TAMBÉM

Deixe seu comentário