Vitória deve ter quatro mudanças no time para enfrentar o São Paulo

O atacante Neílton deve retomar à titularidade

Foto: Maurícia da Mata/EC Vitória/Divulgação

Após o empate por 2 x 2 contra o Corinthians no último domingo, o Esporte Clube Vitória volta a enfrentar um paulista na sequência do Campeonato Brasileiro e novamente no estádio do Barradão, na próxima sexta-feira. O adversário será o São Paulo, antes tratado como franco favorito ao título e hoje diante da realidade brigando apenas por uma vaga direta na Copa Libertadores. Para esse confronto, o Leão terá muitas mudanças, pelo que indiciou Carpegiani. Ao menos quatro mudanças devem acontecer na equipe titular.

Após o empate com o Corinthians, o técnico Paulo César Carpegiani disse que dá a oportunidade ao atleta, mas que não é tão teimoso, indicando que pode fazer modificações no time para enfrentar o São Paulo. No decorrer da partida contra o Corinthians, o treinador sacou Rhayner, Walter Bou e Lucas Fernandes para as entradas de Rodrigo Andrade, Léo Ceará e Neilton. O treinador admitiu que gostou do rendimento do time depois das substituições e disse que a tendência é manter.

“Gostei muito da equipe que terminou o jogo. Uma equipe competitiva, que produziu, impôs ritmo. Não gosto quando a outra equipe tem liberdade para sair jogando. Tivemos dificuldade de encaixar a marcação no primeiro tempo. Reposicionamos, fizemos o gol e depois afrouxamos. Recuamos. Deixamos o Corinthians jogar, e eles encontraram o gol de um jeito muito feliz. Neilton considero titular. Vamos ver durante a semana. Mas tem grande probabilidade de jogar”, afirmou o treinador.

Além das três alterações previstas por opção do treinador, o Vitória não poderá contar com o zagueiro Aderllan. Por força contratual, ele não pode enfrentar o time paulista. Com isso, um provável Leão teria: Ronaldo, Jeferson, Ramon, Lucas Ribeiro e Fabiano; Willian Farias, Arouca e Rodrigo Andrade; Erick, Neilton e Léo Ceará.



Carpegiani também explicou a manutenção de Erick no time titular.

“[Erick foi mantido] Por um simples fato: quando se tem jogadores rápidos como temos, caso contra a Chapecoense, tem dois caras agudos, consequentemente, o time é propício para o contra-ataque. Explora a velocidade. Ele [Erick] jogou bem contra a Chapecoense. Ele, nesse contexto, também se saiu bem. Foi mantido agora. Questão de coerência. Tenho dado oportunidade. Aproveitar ou não… A torcida está… Mas víamos resultado positivo. Ele entrou, na parte coletiva da equipe, foi levado… E conseguimos fazer um bom jogo. No segundo tempo, botei o André [Lima]. Tenho procurado encontrar aquela solução. Respeito a sua opinião. Tenho direito de fazer. Tenho direito de avaliar, analisar, e também não sou muito teimoso, não. Por isso, modificações são feitas. Um melhor; outro, não. Temos quase com igualdade. No próximo jogo, a princípio, é manter Léo Ceará”, explicou.

Bahia reduz quase à zero chances de rebaixamento e Vitória segue estagnado

Deixe seu comentário