“Bahia é muito forte, poderia estar melhor no Brasileiro”, diz Zé Ricardo

O técnico botafoguense elogiou a equipe de Enderson Moreira

Foto: Fred Gomes

Após ser desclassificado da Copa do Brasil pelo Bahia, na época em que treinava o Vasco, o técnico Zé Ricardo pode dar o troco, agora sob comando do Botafogo, adversário do tricolor nesta quarta-feira pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana. No jogo de ida, o Esquadrão venceu por 2 x 1, desta forma, joga por um empate no Rio de Janeiro para se classificar, enquanto o time carioca precisa de um triunfo simples por 1 x 0 para avançar pela via direta. Se devolver o 2 x 1, teremos pênaltis. No caso de um triunfo por 3 x 2, a vaga é do Bahia pelo critério do gol qualificado.

Às vésperas do duelo com o Bahia, marcado para às 21h45 desta quarta-feira no estádio Nilton Santos, o técnico Zé Ricardo concedeu entrevista coletiva e mostrou otimismo em conquistar a classificação e rumar em busca do bicampeonato para o clube carioca. O treinador também falou sobre o Bahia que, segundo ele, tem um time muito forte e poderia estar melhor colocado no Campeonato Brasileiro. Ele também elogiou o trabalho de Enderson Moreira e citou o quarteto de ataque formado por Zé Rafael, Vinícius, Ramires e Élber.

Veja abaixo



“O Bahia é muito forte, na minha opinião poderia estar melhor colocada no Brasileiro porque tem feito jogos iguais com todas as equipes. Se não me engano, é a equipe que mais jogou nesse ano. Ficou envolvida em cinco competições num momento do ano, enfrenta o desgaste, assim como nós enfrentamos. Têm peças de reposição, mesmo com essas ausências continua competitiva. É muito bem formatada pelo Enderson. Tiveram problema com a expulsão do Léo, eles não têm um imediato substituto, devem improvisar, mas não perder a característica de ser um time rápido. Vamos tentar ser cirúrgicos e ofertar o menos de oportunidades para eles. Zé Rafael, Vinícius, Elber e o menino Ramires são meninos que merecem muito cuidado”, disse o treinador.

Zé Ricardo comentou a emoção de disputar um mata-mata e alertou quanto à possível estratégia do Bahia.

“É gostoso o mata-mata, a emoção é desde o apito do primeiro jogo ao último minuto do jogo final. Vibramos com o gol do Pimpão, como a gente brigou para empatar. O jogo de amanhã é diferente. O Bahia vai poder esperar o Botafogo e utilizando o que eles têm de melhor, que é um ataque muito rápido. Entendo que amanhã será um espetáculo gostoso. Espero que seja um jogo aberto, um jogo franco. Precisa de alegria. Existem estratégias e estratégias. Espero que lote amanhã.”

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*