Entenda porque Hernane, hoje no Sport-PE, não pode enfrentar o Bahia

Na próxima quarta-feira, às 19h30, na Arena Fonte Nova, se enfrentam Bahia e Sport-PE, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro, em duelo de SEIS pontos e direto na briga contra o rebaixamento. Esse jogo marcaria o reencontro do brocador Hernane com a torcida tricolor, no entanto, ele não pode enfrentar o ex-clube justamente por um acordo contratual feito entre baianos e pernambucanos quando o jogador deixou o Grêmio para jogar no Leão da Ilha.

Hernane foi emprestado pelo Bahia ao Grêmio em fevereiro, com o clube gaúcho pagando todo o salário. Ao deixar o clube gaúcho, ele rescindiu contrato com o Esquadrão para assinar em definitivo com o Sport-PE, mas o tricolor baiano paga um valor indenizatório por conta dessa rescisão, como sendo parte do salário. Esse valor, somado ao que o Sport paga por ele, é o mesmo que ele recebia no Tricolor Gaúcho.

Com isso, Bahia e Sport-PE chegaram a um acordo para que ele não enfrente o ex-clube, o chamado “acordo de cavalheiros”, que tinha sido proibido pela CBF em 2015 e 2016, no entanto, a entidade voltou atrás em julho do ano passado por pedido dos próprios times. No artigo 35 do Regulamento Geral de Competições consta que “nas transferências por cessão temporária (empréstimo) de atleta profissional, incumbe, privativamente, aos clubes cedente e cessionário ajustar a participação do jogador nas partidas em que se enfrentem”.



A má vontade dos jornalistas do Sul e Sudeste com Bahia e Vitória

Deixe seu comentário