BA-VI: Chegou a hora do Bahia quebrar a banca do Vitória

O torcedor tricolor, por duas vezes, ficou puto! Mas neste domingo a história pode (e deve) ser outra, com um desfecho feliz desta vez. Chegou a hora do Bahia mostrar sua força e quebrar a banca do Vitória. Perdemos dois clássicos pelo mesmo placar (2×1) e com cenários quase parecidos apesar da diferença do peso de importância, jogando com 10 homens boa parte dos 90 minutos em ambos os jogos, apresentando um futebol equilibrado e corajoso, principalmente na quinta-feira, e em nenhum momento se acovardando apesar da inferioridade numérica que faz diferença, ainda mais num dérbi. É claro, no final das contas, o que vale é o resultado. Não importa quem jogou melhor, quem acertou mais ou errou menos passes, quem teve jogador expulso, quem criou ou finalizou mais. Os números são abafados e atirados na lata do lixo. Ao final do BA-VI deste domingo, apenas um lado estará sorrindo e comemorando, o outro chorando e se lamentando. É a lei do futebol. 

Apesar da vantagem do Vitória, tudo está aberto e indefinido. O Leão joga por um empate, o Esquadrão por um triunfo simples (1×0). Tudo pode acontecer, afinal, clássico é clássico e vice-versa, como diria o filósofo Jardel. Acredito que o Bahia tem boas chances de avançar e essa confiança se consolida pelo futebol apresentado no último duelo no estádio do Barradão onde fez um bom jogo e trouxe um gol que pode ser essencial neste domingo. Em mata-mata os detalhes fazem a diferença, é preciso jogar com o regulamento debaixo do braço e de forma estratégica, como um jogo de xadrez. Não adianta sair adoidado e afoito para o ataque desorganizadamente e deixar a zaga desguarnecida. Se tomar um gol, tem que buscar dois para levar para os pênaltis ou três para avançar de vez. Se tomar dois, aí a situação é preocupante e diria quase irreversível, servindo apenas os triunfos por dois gols de diferença, ou seja, teria que fazer quatro.

Se ‘Gordiola’ não inventar e o time repetir a atuação do primeiro tempo do jogo de ida, só que dessa vez com igualdade numérica 11×11 (espero) e sabendo aproveitar as oportunidades criadas, podemos sair de campo com o alvará de licença para disputar mais uma final de Copa do Nordeste em busca do tricampeonato. Mas não adianta apenas fazer cara de mal, tem de jogar bola, dá sangue e se entregar ao máximo diante dos 30 mil tricolores que devem marcar presença para apoiar e empurrar o Esquadrão. BBMP! Sem Hernane e Gustavo, o mais provável é que Guto coloque Zé Rafael na ponta e desloque Edigar para atuar como um falso 9. Eduardo volta para reforçar a lateral-direita, enquanto Jackson ainda é uma incógnita. Pelo lado rubro-negro, os desfalques são dos meias Jhermerson e Dátolo e o atacante André Lima. Em contrapartida, Kieza dessa vez não arregou e enfrentará seu ex-clube.

BAHIA X VITÓRIA 

SEMIFINAL DA COPA DO NORDESTE 

Data : Domingo, 30 de abril 

Horário : 16h (de Brasília) 

Local : Arena Fonte Nova, Salvador (BA) 

Árbitro: Rafhael Claus (Fifa/SP) 

Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa/SP) e Danilo Ricardo Simon Manis (Fifa/SP) 


BAHIA: Jean; Eduardo, Jackson (Lucas Fonseca), Tiago e Armero; Edson, Juninho (Renê) e Régis; Allione, Zé Rafael e Edigar Junio. Técnico: Guto Ferreira.

VITÓRIA: Fernando Miguel; Patric, Kanu, Fred e Geferson; Willian Farias, Bruno Ramires, Cleiton Xavier e Euller; David e Kieza. Técnico: Argel Fucks. 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*