Um Bahia e Vitória sertanejos

Não vejo nada melhor que hoje acompanhar logo mais à tarde o BaxVi. Uma seleção de bons jogos para quem gosta também de futebol em outros canais de tevê. Mas, sem dúvida, o baiano não abre mão de se vê jogando bola e torcendo. Quando o Bahia entrar hoje veremos a tradição de um clássico que resiste ao tempo. Sim, o Ba-Vi é forte como o sertanejo!

O Vitória já mudou de hino, mudou de padrão e até seu Escudo. O Bahia tentou fazer o mesmo com seu Escudo, mas sua torcida não deixou. O Bahia também inaugurou um fenômeno infeliz: um ex-presidente do rival vestindo a camisa do tricolor. Bahia e Vitória também foram os primeiros clubes empresas do Brasil, uma mal fadada experiência. Entrarão esses fenômenos modernos em campo, que levaram o Leão da Barra a conquistar nos ultimos anos mais títulos que o Bahia. Jogos, BAxVis, com torcidas apartadas em suas trincheiras é outra novidade.

O Bahia e o Vitória que virão a campo, mesmo a despeito de toda a “modernidade”, jogam pelo que tem mais de si mesmo: uma tradição imorredoura e forte. O sertanejo seria a espécie mais resistente do sertão, o BaxVi é mais forte para o baiano e resistente que a invasão e as tralhas de produtos que o mercado inventa para que o torcedor vire consumidor cativo de suas invenções. Somos torcedores de BaxVis, não consumidores de camisas de Real Madrid nem de Barcelonas da vida. Gostamos mesmo de falar baianês na gíria dos babas das nossas esquinas.

Por tudo isso, hoje, viveremos logo mais o mesmo jogo que outrora nossos avôs jogavam. Um BaxVi feito de coragem e de quem gosta mais de fazer e participar que imitar.

Veja o espírito do BaxVi:

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*