Enderson Moreira aciona Justiça contra o Cruzeiro e cobra dívida milionária

Com passagem pelo Bahia, técnico cobra ainda o reconhecimento da Sociedade Anônima do Futebol (SAF) como responsável solidária

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Comandante do Bahia nas temporadas 2018 e 2019, o técnico Enderson Moreira entrou com um pedido na Justiça do Trabalho frente ao Cruzeiro. O treinador, com passagem pela Raposa em 2020, cobra ainda o reconhecimento da Sociedade Anônima do Futebol (SAF) como responsável solidária. A 28ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte vai julgar os pedidos do comandante mineiro. As cobranças de Enderson soma parcelas de rescisão com o Rei de Copas, multas e uma indenização por ter encerrado o vínculo com o Ceará antes de ser anunciado pelo time.

 

No período da contratação do técnico, a Raposa garantiu ressarcir o profissional, no entanto, pagou somente uma parte do valor resultante da ruptura do vínculo com o Ceará. A quantia dos débitos ultrapassam a marca de R$ 1,5 milhão.

Confira todos os pedidos feitos por Enderson Moreira:

Pagamento de parcelas rescisórias no importe de R$ 725.662,00;
Pagamento da multa do art. 477, parágrafo oitavo, da CLT, no valor de R$ 105.000,00;
Pagamento das parcelas de natureza civil decorrentes da relação de trabalho, R$ 158.666,66;
Ressarcimento da indenização decorrente à rescisão com o Ceará, equivalente a R$ 233.750,00;
Condenação ao pagamento de 15% a título de honorários advocatícios sobre o valor da condenação, que ora estima em R$ 237.886,44.

Acerca da inclusão da SAF como ré solidária, os advogados de Enderson usam a sentença da 12ª Vara de BH. Ela reconheceu a responsabilidade em primeira instância. Oficialmente contratado pelo Cruzeiro no dia 18 de março de 2020, o técnico, de 50 anos, saiu do clube em setembro daquele ano.

No total, ele fez 12 partidas, onde venceu seis, empatou três e sofreu três derrotas. Dentro do futebol brasileiro, Enderson Moreira treinou clubes como Goiás, Grêmio, Santos, Fluminense, América Mineiro, Ceará, Fortaleza, Botafogo e Bahia.

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*