Rodrigo Chagas rebate nota do Vitória e ameaça entrar com ação contra o clube

O profissional garante que foi demitido e exige o pagamento da rescisão

FOTO: Pietro Carpi/ECV

Após ser desligado do comando técnico da equipe principal, o treinador Rodrigo Chagas ficou um tempo afastado e em junho foi desligado do quadro de funcionários. Porém, nesta sexta-feira, ele foi notificado pelo Esporte Clube Vitória a se apresentar novamente ao clube. A nota, assinada pelo presidente Paulo Carneiro, diz que o profissional foi liberar para aproveitar as férias e ao retornar, tentou um acordo amigável para se desligar, mas sem chegar a um entendimento, continua vinculado ao clube e precisa retornar suas funções “imediatamente”.

 

“Afim que não pairem dúvidas a respeito, o EC Vitória esclarece que o funcionário Rodrigo Chagas é profissional de carreira no clube desde 2017. Em 2020 ele foi instado a mudar de setor indo prestar serviços na equipe de futebol profissional. Findo a sua missão em junho de 2021, este funcionário foi liberado para gozo de férias, e ao retornar, por sua iniciativa, buscou-se um acordo amigável para o seu desligamento do quadro de funcionários do clube. Como, até o momento, não se chegou a um acordo o funcionário foi notificado para retornar imediatamente as suas funções no clube” diz o comunicado publicado no site oficial e assinado por Paulo Carneiro.

Rodrigo Chagas rebateu a nota do Vitória, garantiu que foi demitido e exige o pagamento da rescisão contratual e de salários atrasados. Além disso, ameaçou entrar com uma ação contra o clube.

“Venho, por intermédio da presente e em função do comunicado do Esporte Clube Vitória informar que era técnico das divisões de base do clube desde 18.01.2017, com contrato de trabalho por tempo indeterminado. O clube resolveu me contratar para assumir a equipe profissional, quando deveria ter rescindido o 1º contrato, já que o treinador profissional deve possuir contrato por tempo determinado. Os responsáveis pelo departamento de futebol do Esporte Clube Vitória utilizaram a estratégia de registrar nas anotações gerais da minha Carteira de Trabalho o novo contrato e não deu baixa e não pagou a rescisão do contrato anterior”, diz Rodrigo por meio de nota.

“O meu advogado já notificou o clube em 02.08.2021, com base no Regulamento Nacional de Registro e Transferência da CBF, com prazo de 10 (dez) dias para efeito de pagamento ou certificação da inadimplência. Findo o prazo, comunicarei ao Departamento de Registro e Transferência da CBF o meu desligamento, por interesse do clube, sem justa causa, porque o regulamento também impõe limitações aos técnicos e não posso ficar prejudicado no prosseguimento de minha carreira. Além disso, caso o ESPORTE CLUBE VITÓRIA não pague os valores devidos, proporei ação na CNRD – Câmara Nacional de Resolução de Disputas da CBF”.

 

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*