Novo técnico do Vitória jogou a Copa do Mundo de 98 pelo Japão

Wagner Lopes se naturalizou japonês após alguns anos jogando no futebol do Japão

Foto: Divulgação

Depois de Rodrigo Chagas e Ramon Menezes, o Esporte Clube Vitória vai para o seu terceiro técnico na temporada 2021. O nome da vez é Wagner Augusto Lopes, de 53 anos, que é natural de Franca (SP) e comandou recentemente o Vila Nova de Goiás, onde acabou demitido em junho. Seu primeiro clube foi o Paulista. Comandou também São Berbardo, Botafogo-SP, Criciúma, Goiás, Bragantino, Sampaio Corrêa, Paraná, Albirex Niigata (Japão), Joinville e Atlético-GO. O novo treinador do Leão é um ex-jogador que fez quase toda sua carreira no futebol japonês após ser revelado pelo São Paulo. Ele pendurou as chuteiras em 2002 e depois se tornou treinador.

 

Wagner Lopes se naturalizou japonês após alguns anos jogando no futebol do Japão, defendendo clubes como Kashiwa Reysol, Honda, Bellmare Hiratsuka, Nagoya Grampus Eight, FC Tokyo e Avispa Fukuoka. Ele, inclusive, vestiu a camisa da Seleção Japonesa na Copa do Mundo de 1998, além da Copa América de 1999 – na qual o país participou na condição de convidado. Pelo Japão, foram 20 jogos e 5 gols marcados.

Após pendurar as chuteiras em 2002, ele seguiu no futebol. No Paulista, começou como assistente e depois se tornou treinador. No início de 2012, retornou ao Japão, agora como auxiliar técnico de José Carlos Serrão, no Gamba Osaka. No inicio de 2013, comandou o Comercial e o São Bernardo. Ele já tinha acertado para comandar a Ferroviária de Araraquara, mas preferiu comandar o Botafogo de Ribeirão Preto.

Em 2014, acertou sua transferência para o Criciúma, onde comandou a equipe até o final do Brasileirão da série A, porém, meses depois acertou com o Atlético Goianiense. Em dezembro de 2014 foi contratado pelo Goiás para comandar o clube em 2015. Foi demitido em 2 de abril de 2015, mesmo tendo aproveitamento de 75%: quinze partidas conquistando trinta e quatro dos quarenta e cinco pontos disputados.

Ainda em 2014, acertou com o Bragantino, ficando até dezembro de 2015, retornando ao Atlético Goianiense para a temporada de 2016. Foi demitido em abril após maus resultados no Estadual e na Copa do Brasil. Um mês após a demissão, acertou com o Sampaio Corrêa, mas também não demorou muito tempo e foi demitido em agosto com 23,5% de aproveitamento.

Em novembro de 2016, foi confirmado como novo treinador do Paraná para a temporada 2017. Fez um bom trabalho, mas deixou o clube com 65% de aproveitamento para comandar o Albirex Niigata, do Japão. Retornou ao Paraná em dezembro de 2017, mas não repetiu o bom trabalho e com um início ruim na temporada, com apenas uma vitória, três empates e três derrotas em sete partidas, foi demitido. Após deixar o Paraná, em 2018, ainda comandou Joinville e Atlético-GO. Passou também pelo Botafogo-SP, em 2020, antes de chegar ao Vila Nova esse ano.

Títulos

Como treinador

Goiás
Granada Cup: 2015

Paulista
Copa Paulista: 2011

Atlético-GO
Campeonato Goiano: 2019

Como jogador

São Paulo
Campeonato Paulista: 1985, 1987
Campeonato Brasileiro: 1986

Nagoya Grampus
Copa do Imperador: 1999

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário